Segurança de final de ano: como proteger o lar durante as festividades

Movimentação em portarias, garagens, viagens de moradores. Tudo isso pode comprometer a segurança das residências

Amilton Saraiva*

seguranca-de-final-de-ano-como-proteger-o-lar-durante-as-festividades

Natal e Réveillon são épocas de alegria, festas e comemorações. Porém, é também uma das épocas em que mais falta atenção à segurança de casas e condomínios. A movimentação nos prédios e nas ruas tende a dobrar com a chegada do final de ano, tanto quanto as estradas. É fácil para que o criminoso observe o momento que o local estará mais vulnerável e escolherá agir. Para impedir estas situações desagradáveis, é necessário ter muitos cuidados antes de viajar.

As residências ficam vazias e desprotegidas, e por isso não dá para ficar desatento aos mínimos detalhes que permitem aos criminosos realizar roubos e furtos. Um fator para se tomar mais cuidado é com a entrada de pessoas na portaria, já que a segurança do condomínio poderá ficar mais frágil com as festividades de Natal e ano-novo, pois cresce o número de visitantes nas residências. Os que receberão amigos e familiares em casa devem entregar uma lista na portaria com os nomes, para que sejam melhores identificados, e mesmo assim, quando chegarem devem ser anunciados pelo porteiro.

Também por causa do Natal, também cresce o número de entregas de presentes, cestas, comidas encomendadas, flores, entre outras coisas, e os entregadores não podem ter acesso à área interna se o morador não estiver ou não autorizar. Cabe aos profissionais de portarias estar mais atentos e ser ágeis para impedir que a grande movimentação se torne um risco para o condomínio.

Quem irá viajar deve se precaver com atitudes que trarão ainda mais segurança domiciliar como manter a discrição e privacidade dos detalhes da viagem, como local, data de saída ou chegada. Por mais que se confie em funcionários da residência, por exemplo, faxineira ou jardineiro, eles podem inocentemente comentar com alguém de fora, que pode não ser uma pessoa bem intencionada.

Entre os cuidados durante a ausência, é melhor não deixar evidente que a residência está vazia, uma alternativa pode ser o uso de temporizadores ou fotocélula nas lâmpadas para que elas apaguem durante o dia e acendam a noite; avisar uma pessoa de confiança, como parente, vizinho ou amigo, que estará viajando para que retire a correspondência da casa ou na portaria e cuide do local, limpando a frente e o quintal; no caso de condomínios o zelador deve ser previamente informado e o condômino também deve fazer uma autorização, caso queira que alguma pessoa, ou empregado entre no apartamento ou casa durante a ausência.

O profissional de portaria acompanha a rotina de um condomínio diariamente e certamente notará a ausência de algum morador. Por isso, é recomendável que os porteiros sejam contratados através de empresa terceirizada confiável, que ofereça um treinamento especializado de atendimento, discrição e segurança preventiva. Por ser profissional e especializada, a empresa contrata após verificar o histórico profissional e pessoal do porteiro, investigando antecedentes criminais, conduta e indicação. Porém, quando contratados diretamente no condomínio, esta contratação não dispõe destes recursos, que impeçam maus profissionais de adentrarem em um ambiente onde se deve prezar pela segurança.

*Especialista em condomínios da GS Terceirização

Autor

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *