Jovem ganha chance de ser preparador físico do Mogi Mirim

O cravinhense Gabriel Bonavena, 32 anos, atualmente é preparador físico do Mogi Mirim, que disputa a Série C do Campeonato Brasileiro, e é o entrevistado da Coluna Bate-Papo dessa semana, em que explica toda sua trajetória profissional

A cada domingo uma personalidade diferente senta aqui comigo para um descontraído Bate-Papo, já tivemos cantores, escritores, cientistas e nessa semana quem conversa comigo é um esportista. Ele veio de uma família que sempre teve pessoas envolvidas no meio futebolístico, ele mesmo já atuou nos gramados de Cravinhos e Ribeirão Preto, mas viu que não era dentro de campo que faria sucesso, mas sim fora dele.

Fez faculdade de Educação Física, depois pós-graduação com especialização em preparação física, passou um período em estudos nos Estados Unidos e voltou para assumir as categorias de base do Guarani. Mas foi no final de 2016, que recebeu o convite para ser preparador físico do Mogi Mirim Esporte Clube.

Gabriel Bonavena

Hoje o meu convidado é Gabriel Bonavena de Oliveira, que atualmente trabalha no Mogi Mirim (equipe que disputa a Série C do Campeonato Brasileiro), é filho do casal Rui Carlos e Fátima de Oliveira, casado com Márcia Fernanda e em breve será papai da Maria Luiza. Nesse brilhante currículo ainda podemos citar que foi técnico das escolinhas de futebol da Secretaria Municipal de Esportes de Cravinhos e participou de diversos Jogos Regionais.

Gabriel, é um prazer recebê-lo aqui para o nosso Bate-Papo.

Kennedy, tudo bem? O prazer é todo meu e estou aqui para contar um pouco de minha trajetória, que está apenas se iniciando.

Como surgiu a oportunidade de você se tornar preparador físico do Mogi Mirim?

Estava encerrando minha especialização em Fisiologia na UNICAMP, quando o professor e hoje meu grande amigo Ricardinho me convidou para trabalhar como preparador físico no Mogi Mirim Esporte Clube, onde ele já atuava como fisiologista.

Você sempre trabalhou nessa área esportiva, quais foram as principais dificuldades encontradas?

Talvez a de conseguir oportunidades para trabalhar com profissionais, pois é muito concorrido e envolve aspectos além da capacidade, assim como qualquer outra área tem que estar com as pessoas certas.

Você acabou tendo a chance inclusive de ser o técnico do Mogi Mirim em algumas oportunidades. Como foi essa sensação?

Sempre gostei muito da área de metodologia de treinamento, aspectos táticos, o que fiz também durante esses anos, porém existe o lado da gestão de pessoas, hoje não penso em exercer essa função e acredito não estar preparado, apenas foi uma situação provisória.

Gabriel Bonavena - mogi mirim futebol

Qual a sua avaliação quanto a estrutura do Mogi Mirim?

A estrutura física é muito boa, tem centro de treinamento, academia e transporte próprio, atualmente passa por problemas financeiros assim como muitos clubes do interior.

Atualmente o técnico do Mogi Mirim é o Marcelo Veiga, que já se destacou em comandar grandes equipes. Como é trabalhar ao lado dele?

Somos de diferentes gerações e consequentemente temos conceitos diferentes devido à diferença de idade, porém com o tempo fomos encaixando as ideias sem deixar de lado o que cada um acredita, mas sempre é muito bom trabalhar com quem tem tanta experiência na profissão, algo importante para quem está começando como eu.

Qual é seu objetivo profissional daqui pra frente?

Disputar grandes campeonatos pelo Mogi Mirim, assim como já estamos e consequentemente ir me capacitando para futuramente estar em clubes maiores, assim como toda profissão, todos almejam a evolução profissional, futebol não é diferente.

Na sua visão os times do interior paulista estão perdendo o foco de formação de atletas e mesmo de serem surpresas nas principais divisões do futebol?

Não. A maioria deles tem o trabalho de formação, o que acontece que na pratica você não consegue manter os jogadores de bom nível formado pela sua base, pois os clubes maiores cada vez mais cedo levam. O fato de deixar de ser surpresa trata-se que existe uma diferença gigante de arrecadação entre clubes grandes e pequenos, consequentemente você tem muito menos recursos para investir.

Gabriel Bonavena mogi mirim futebol

Hoje o Mogi Mirim está disputando a Série C do Campeonato Brasileiro. Com jogos televisionados e toda uma mídia em cima. Você imaginaria que poderia fazer parte de um elenco profissional dessa maneira?

Sim, não esperava que seria tão rápido, porém sempre estive preparado, as coisas podem não acontecer, mas você tem que estar preparado.

Muitos atletas são mais velhos que você, como é essa relação profissional?

É ótima, trabalho com jogadores que cresci acompanhando e que são mais velhos do que eu, todos são muito profissionais e respeitam muito o trabalho a eles proposto.

Suas considerações finais.

Kennedy, sei que você e sua equipe também estão em um novo projeto e quero desejar sorte a todos vocês. Quero agradecer essa oportunidade de conceder essa entrevista, e também o Mogi Mirim que está me dando essa grande oportunidade profissional. Um grande abraço a todos!

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Um comentário em “Jovem ganha chance de ser preparador físico do Mogi Mirim

  • 7 de agosto de 2017 em 23:38
    Permalink

    Parabéns pela entrevista. O Ga é um grande exemplo de pessoa determinada, digna, capacitada e merecedora das oportunidades e desafios que tem enfrentado e superado.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: