Como substituir a farinha de trigo

Atualmente vemos aparecer no mercado de alimentos diferentes tipos de farinhas em resposta a preocupação crescente com a saúde, peso e ainda pode ser citado os modismos alimentares.

A crescente substituição da farinha de trigo acontece em parte pela necessidade das pessoas que são realmente intolerantes a ela e também por aqueles que querem evitar o consumo de sementes modificadas e misturas, que levam a piora da qualidade da farinha de trigo. Os outros tipos de farinha que existem podem ser utilizadas no preparo de pães, bolos e massas ou ainda podem ser misturadas a própria farinha de trigo com o objetivo de enriquecê-la nutricionalmente. Além disso, variar os tipos de farinha também pode gerar menor monotonia alimentar e maior variedade de nutrientes na dieta.

As farinhas que podem substituir a farinha de trigo são:

Farinha de aveia: é fonte de carboidratos. Apresenta composição de aminoácidos superior em qualidade e quantidade aos demais cereais. Possui alta concentração de ácido glutâmico no grão, porém, a lisina é o primeiro aminoácido limitante. Possui alto teor de fibras solúveis. Fonte de vitaminas E e complexo B, minerais como manganês, ferro, magnésio, fósforo, cálcio e zinco.

Farinha de castanhas: possui alta densidade energética, é fonte de lipídeos predominando ácidos graxos monoinsaturados (oleico ômega 9), poli-insaturados ácido linoleico – ômega 6 e ácido linolênico – ômega 3 (castanha do baru, castanhas, macadâmia, nozes). Fonte de vitamina E e fonte de fibras.

Farinha de arroz: encontrada na forma “branca” e integral. O arroz é um alimento de fácil digestão, hipoalérgico, excelente fonte energética, alta concentração de carboidratos na forma de amido. Possui vitaminas E e do complexo B. No arroz com casca há predominância do mineral silício, no integral e polido, destacam-se fósforo, potássio e magnésio.

Farinha de grão de bico: rico em carboidratos, contém proteínas. Fonte de minerais, como fósforo, potássio, magnésio, ferro, manganês e cobre.

Farinha de maca peruana: conhecida no universo fitness, essa farinha está ganhando espaço entre os nutricionistas por suas doses fartas de fibras, vitaminas, zinco, cálcio e ferro.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: