Cuidados nutricionais nos distúrbios da tireoide

Atualmente os transtornos relacionados à tireoide, uma glândula que se localiza na região da frente do pescoço e que controla a velocidade das reações orgânicas, estão cada vez mais comuns, dentre eles o hipotireoidismo e o hipertireoidismo.

Quando se trata do hipotireoidismo a pessoa possui uma deficiência na produção dos hormônios da tireoide, que são a tiroxina (T4) e a tri-iodotironina (T3). Esses hormônios são responsáveis pelo controle celular relacionado ao gasto energético. Com o hipotireoidismo, a falta dos hormônios provoca lentidão no metabolismo energético e consequentemente ganho de peso, constipação e fadiga. Outros sintomas que podem estar relacionados a esta condição são depressão, sono excessivo, queda de cabelo e unhas fracas.  Em crianças, o hipotireoidismo não tratado pode resultar em prejuízos no desenvolvimento, como baixa estatura, atraso na puberdade e retardo mental. Essas doenças podem ser desencadeadas por fatores genéticos, uso de alguns medicamentos, cirurgia na glândula e processos inflamatórios.

Em contrapartida, o hipertireoidismo trata-se de uma produção excessiva nos hormônios da tireoide, que pode resultar em aumento no gasto energético acima do normal, ocasionando perda de peso, falta de sono, agitação excessiva e irritabilidade. Essa condição pode ser ocasionada pela ingestão excessiva de iodo, tireoidites e nódulos na glândula.

O diagnóstico de ambos os problemas é realizado através de exames clínicos e laboratoriais, onde realiza-se a dosagem dos hormônios TSH, T3 e T4. Nesses casos o paciente pode se beneficiar de uma alimentação equilibrada, porém a medicação deve ser seguida rigorosamente. Além disso, as alterações nos hormônios da tireoide podem levar ao aumento nos níveis de glicose, vitamina B12 e colesterol. A alimentação, portanto, é capaz de auxiliar no tratamento dessas alterações e ainda promover o bom funcionamento da tireoide.

Os cuidados nutricionais são direcionados a amenizar os sintomas decorrentes das alterações como o emagrecimento excessivo ou o ganho de peso. A alimentação deve promover melhora no funcionamento intestinal e disposição. O paciente deve evitar o consumo de alimentos muito condimentados, com excesso de sal, alimentos industrializados, que possuem muitos aditivos na sua composição e isso pode afetar o funcionamento da tireoide. O consumo de frutas, vegetais e grãos integrais deve ser estimulado, pois auxilia no controle de peso e são fontes de fibras, vitaminas e minerais importantes para o bom funcionamento do organismo.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: