Efeito Platô

Quando iniciamos uma dieta ou um processo de reeducação alimentar, em um primeiro momento passamos por uma perda de peso considerável em reposta as mudanças nos hábitos alimentares e na restrição calórica. Posteriormente, o peso vai diminuindo mais lentamente até estagnar, mesmo que a dieta seja rigorosamente mantida.

Esse processo denomina-se efeito platô, que trata-se de uma reação de adaptação do nosso organismo à dieta, fazendo com que o indivíduo pare de perder peso. Isso ocorre porque o corpo se acostuma com a nova condição que foi imposta e passa a gastar menos calorias, desacelerando o metabolismo.

Esse efeito gera um alto grau de frustração e desmotivação, fazendo com que muitas pessoas abandonem seus projetos de perda de peso. Porém, existem estratégias para driblar esse efeito tão indesejado. Para reverter esse quadro, é necessário, em alguns casos, mudar o estilo da dieta na tentativa de driblar o organismo e associa-la a pratica de atividade física.

Por que o efeito platô acontece?

O efeito platô pode ocorrer devido à progressiva perda de peso, que gera uma redução das necessidades energéticas, pois o gasto energético reduz quando emagrecemos, ou seja, o metabolismo fica mais lento. Outra possível explicação é a teoria do “set point”, que explica que o organismo é programado por mecanismos fisiológicos, geneticamente determinados, para apresentar um determinado peso, ou seja, um ‘set point’. Quando saímos desse ponto de equilíbrio o organismo realizará ajustes metabólicos para retornar ao peso habitual.

Como sair do efeito platô?

1- Mudança de estímulo: fazer alterações na dieta, suplementação e treinos. O corpo se acostuma fácil e para de responder a qualquer tipo de estímulo de forma rápida. É aconselhável uma mudança a cada 2 meses.

2- Dieta: o nível calórico da dieta deve ser ajustado para estimular o organismo.

3- Hidratação: o baixo consumo de água é uma das causas de redução do metabolismo. Ingerir quantidades adequadas de água por dia ajudará a driblar esse efeito.

4- Inicie e/ou intensifique o treino de musculação: músculos mais desenvolvidos promovem aumento na taxa metabólica do organismo.

5- Cautela com exercícios aeróbicos intensos: no desespero de emagrecer muitas pessoas fazem aeróbicos de forma intensa. O excesso de exercícios predominantemente aeróbicos pode levar ao catabolismo, perdendo massa muscular, o que desacelera o metabolismo como forma de proteção ao corpo.

6- Elimine beliscos: balas, chicletes, refrigerantes, doces, biscoitos, barras de cereais, bombons, sucos, excesso de frutas, pães, etc.

7- Dieta rica em proteínas: inclua alimentos proteicos em todas as refeições.

10- Alimentos termogênicos: inclua diariamente na alimentação: pimenta, mostarda, gengibre, canela, chá verde, chá branco que contribuem para melhorar o metabolismo e assim estimular a perda de peso.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: