Hipertensão arterial: controle e prevenção pela alimentação saudável e atividade física

Além da alimentação, o exercício físico é outro fator importante no controle da hipertensão, pois a prática regular de atividade física reduz a pressão arterial em quem já possui a doença

A hipertensão arterial sistêmica é uma das doenças mais prevalentes na população, cujas proporções aumentam progressivamente com a idade. O padrão alimentar da população urbana brasileira sofreu modificações expressivas, com aumento no consumo de proteínas de origem animal, gorduras de origem animal e vegetal e redução no consumo de cereais, leguminosas, raízes e tubérculos, o que associado a fatores como hereditariedade, obesidade e inatividade física tem contribuído para a elevação na prevalência da hipertensão. A alimentação é uma das principais preocupações para os hipertensos, que devem seguir uma dieta saudável e equilibrada, já que alguns alimentos podem contribuir com o agravamento do quadro clínico. Pesquisas recentes sugerem efeito benéfico da ingestão de frutas e hortaliças no controle das doenças crônicas como a hipertensão e as suas complicações. Assim, a importância das frutas e hortaliças na alimentação é destacada pelo fato de que estas se constituem boas fontes de minerais, vitaminas, fibras alimentares, antioxidantes e fitoquímicos que protegem o organismo.

Além da alimentação, o exercício físico é outro fator importante no controle da hipertensão, pois a prática regular de atividade física reduz a pressão arterial em quem já possui a doença e ainda age como um fator de prevenção para quem ainda não desenvolveu, mas tem susceptibilidade.

A seguir algumas orientações nutricionais para auxílio no controle e prevenção da hipertensão arterial:

O exercício físico é outro fator importante no controle da hipertensão

– Fazer as refeições em local tranquilo, sentado à mesa, mastigando bem os alimentos;

– Toda a alimentação deve ser preparada com pouco sal. Para melhorar o sabor, use à vontade: cebola, cheiro verde, noz-moscada, gengibre, alho e limão. Quando permitido o sal, coloque-o no prato na hora de servir (1 tampa de caneta BIC equivale a 1 g de sal);

– Alimentos com alta quantidade de sal não devem ser consumidos. Ex: biscoitos salgados, salgadinhos industrializados, pães com recheios salgados, presunto, mortadela, salame, salsicha e outros embutidos, queijo roquefort, parmesão, provolone, cheddar, queijo prato, chucrute, enlatados e conservas, temperos industrializados, sopas desidratadas, amaciantes de carne, catchup, mostarda, manteiga ou margarina com sal, bacon;

– Evite saleiro à mesa;

– Prefira carnes magras, assadas, cozidas ou grelhadas;

– Prefira queijos como cottage, ricota sem sal e requeijão;

– Utilize hortaliças frescas;

– Evite adoçante a base de ciclamato de sódio e sacarina sódica. Prefira adoçantes a base de steviosídeo ou stévia.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: