Interação medicamento-nutriente

Quando inicia-se algum tipo de tratamento medicamentoso, torna-se necessário avaliar o horário de ingestão do mesmo.

Atualmente com o aumento na incidência de doenças crônicas muitas pessoas ingerem pelo menos um ou mais medicamentos de uso contínuo. Os alimentos, por sua composição química, podem gerar interações com a medicação em uso, levando algumas vezes a um prejuízo na absorção e consequentemente, no efeito de alguns medicamentos.

Portanto, quando inicia-se algum tipo de tratamento medicamentoso, torna-se necessário avaliar o horário de ingestão do mesmo, se é melhor ingerir em jejum, pré ou pós alimentação, devido alguns nutrientes impedirem, reduzirem ou favorecerem a capacidade terapêutica do medicamento.

A seguir temos o exemplo de alguns medicamentos muito utilizados pela população e como devem ser conciliados com a alimentação:

Foto: Divulgação

ANTICONCEPICIONAL: não existe nenhum alimento que interfere na sua absorção, mas existem medicamentos como antibióticos e doses elevadas de suplemento de vitamina C (acima de 1 grama) que interfere na sua absorção;

ANFERTIL; COMBIRON; SULFATO FERROSO: deve ser ingerido com água e não com leite, pois o cálcio prejudica a sua absorção;

TETRACICLINA: até 2 horas após a ingestão da droga, não consumir alimentos ricos em cálcio e ferro para não prejudicar a absorção do medicamento;

CIPROFLOXACINA: é um antibiótico que não deve ser tomado com leite ou derivados, pois o cálcio diminui a sua absorção. Também não deve ser tomado após as grandes refeições (almoço e jantar), pois alguns minerais presentes (ferro, magnésio, zinco) diminuem a sua eficácia;

ATENOLOL: é um medicamento muito utilizado para controlar a pressão alta que quando ingerido com suco diminui em 49% a sua eficácia, o recomendado é ingerir com água;

ALENDRONATO: a absorção é ótima quando tomado 2 horas antes da refeição e quando tomado com café ou suco diminui 60% a sua absorção.

KEFLEX (cefuroxima): é um antibiótico que a sua absorção é significativamente maior quando administrada após uma refeição, ao invés de jejum;

O ideal é que sempre que um tratamento for iniciado todas as dúvidas com relação ao seu uso sejam retiradas com o médico.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: