Relação do excesso de gordura corporal e o câncer

O percentual de gordura corporal é um parâmetro conhecido atualmente, em especial em academias, onde a maior parte das pessoas visa sua redução com objetivos estéticos. Porém, o que muitos não sabem é que pesquisas recentes indicam que quanto maior a quantidade de gordura corporal maior a susceptibilidade para o desenvolvimento de câncer colo retal.

A alta quantidade de gordura corporal também leva a complicações mais conhecidas como a hipertensão, acidente vascular cerebral e infarto, porém a revista americana Nature publicou um estudo que relaciona a quantidade de gordura com o aparecimento de câncer no sistema gastrointestinal, como câncer colo retal, na vesícula, pâncreas, esôfago e fígado.

Quando a gordura aumenta no organismo ocorre alterações que favorecem o aparecimento de células cancerígenas, pois a maior quantidade de gordura pode interferir na produção de insulina, aumentar os processos inflamatórios e alterar os níveis dos hormônios sexuais.

Além disso, o artigo ressalta a variação nos percentuais de gordura para cada tipo de câncer, gênero mais incidente (homem ou mulher) e idade. O câncer colo retal (tipo de maior risco em relação à adiposidade) tem maiores chances de se desenvolver nessas condições em homens do que em mulheres. Para as mulheres, nota-se que para este tipo de câncer a terapia hormonal realizada na menopausa possui um papel interessante na neutralização dos efeitos prejudiciais do excesso de gordura no organismo.

Com relação ao pâncreas, a pesquisa revelou que o excesso de gordura pode ser fator de risco para desenvolvimento de câncer nesse órgão para homens e mulheres. Além disso, o índice de massa corporal (IMC) alto estava relacionado com maior risco pra desenvolvimento de câncer de pâncreas, independe da presença de outros fatores de risco como diabetes e tabagismo.

Essa pesquisa reforça a importância da manutenção de uma faixa de peso adequada com quantidade de gordura corporal dentro da normalidade por meio da mudança de hábitos, alimentação equilibrada, pratica regular de atividade física e exames preventivos.

Autor

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *