Prática Ortomolecular ajuda a melhorar o desejo sexual

Suplementação de nutrientes essenciais fazem com que o corpo funcione melhor proporcionando mais qualidade de vida

pratica-ortomolecular-ajuda-a-melhorar-o-desejo-sexual

Um dos efeitos colaterais mais importantes associados ao envelhecimento é a perda da sexualidade e de seus componentes, entre os quais podemos citar o desejo sexual, o prazer e a performance. O processo do envelhecimento não é o único problema. Existem alterações associadas ao pensamento e ao cérebro. O cérebro saudável leva a uma atitude saudável, e uma perspectiva positiva é necessária para se ter uma vida sexual ativa.

Além do envelhecimento, o cansaço, o estresse, a sobrecarga de trabalho, são alguns fatores que podem diminuir a vivacidade e consequentemente causar algum tipo de disfunção sexual. Dr. Marco Casemiro, médico especialista há mais de 20 anos em prevenção, tratamento do envelhecimento e reeducação alimentar através da Prática Ortomolecular, explica que os desequilíbrios nutricionais e o aumento de radicais livres no organismo com o decorrer da idade também podem ocasionar falta de libido e as vezes impotência sexual. “É importante a suplementação de nutrientes como vitaminas, sais minerais e aminoácidos. Desta forma, o organismo ficará equilibrado, aumentando o interesse sexual e também o prazer de viver de forma geral” afirma Dr. Casemiro.

A andropausa, caracterizada pelo declínio dos níveis de testosterona livre, o hormônio sexual masculino responsável pela virilidade, também tem grande influência causando a queda da libido. A Prática Ortomolecular ajuda a tratar os sintomas da andropausa como a perda de interesse sexual e problemas de ereção, além de prevenir outros problemas como fadiga, falta de concentração, queda de pelos, diminuição da massa muscular, aumento da gordura corporal, especialmente no abdômen, irritabilidade e insônia.

Assim como as mulheres passam por mudanças com a menopausa, os homens também sofrem transformações. Entre as consequências da síndrome da deficiência de testosterona, há a depressão, disfunção sexual, comprometimento cognitivo, osteoporose, doença cardiovascular e mortalidade. “Adotar hábitos mais saudáveis, manter uma alimentação equilibrada, a suplementação de nutrientes, a prática de exercícios físicos de forma regular, uma boa qualidade do sono, não fumar e não engordar são recomendações que podem retardar ou impedir o aparecimento da deficiência de testosterona e os seus sintomas”, explica o médico especialista em Prática Ortomolecular.

Baixos níveis de dopamina também podem diminuir o interesse sexual. A dopamina é o neurotransmissor responsável pela motivação, impulso e foco. Além de dar uma sensação prazerosa durante o sexo. “Os pacientes que tem níveis muito baixosde dopamina vêm associados com baixa da libido ou do desejo sexual, baixa resposta física ou performance, relacionado a fracas ereções, e nas mulheres, dificuldade de atingir o orgasmo” comenta o especialista. O médico explica ainda que a dopamina é produzida principalmente por dois aminoácidos: fenilalanina e tirosina e que existem vários tipos de substâncias naturais que podem ser utilizadas para estimular o aumento da dopamina como arginina, ácido-fólico, ginseng, mucuna, loimbina, entre outras.

No caso das mulheres, a menopausa contribui ao declínio sexual, e pode gerar sintomas físicos como secura, ondas de calor, ganho de peso, alterações do humor, depressão e irritabilidade. A reposição de vitamina B6 e do mineral Cromo melhoram o bem-estar feminino, principalmente nessa fase em que o desejo parece ter evaporado. “Quando a mulher está em desarmonia interna, todo o corpo sofre, em especial a libido. Balancear os hormônios, é sempre benéfico para uma vida sexual saudável e intensa. O estresse, uma dieta pobre de nutrientes e a falta de exercícios podem causar esse desequilíbrio”, explica o médico.

O tratamento ortomolecular faz um estudo individualizado, avaliando o estado físico e psico-emocional do paciente. “Antes de determinar quais nutrientes serão suplementados pelo paciente, são feitos exames para diagnosticar o que está em falta no organismo. Quando repostos, esses nutrientes farão com que o corpo passe a funcionar melhor, proporcionando mais saúde e qualidade de vida, devolvendo o desejo sexual e evitando doenças mais graves”, finaliza Dr. Marco Casemiro.

Fonte: Focco Comunicação Corporativa

Autor

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: