Brasil comercializa 620 mil dólares em Feira do Livro de Frankfurt

A participação do país, organizada pelo Brazilian Publishers, rendeu mais de 800 reuniões com cerca de 30 países em 5 dias de evento

brasil-comercializa-620-mil-dolares-em-feira-do-livro-de-frankfurt

A participação do Brasil na 68ª Feira do Livro de Frankfurt superou expectativas de negociações, com a comercialização de 620 mil dólares em exportação de direitos autorais e livros físicos realizados durante o evento e previstos para os próximos 12 meses. Com 30 editoras brasileiras, o valor negociado superou a previsão de 550 mil dólares, e cresceu em 24 % em relação a 2015, quando o evento gerou 500 mil dólares em negócios.

Por meio do Brazilian Publishers, projeto de fomento às exportações do conteúdo editorial brasileiro, fruto de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), os profissionais do mercado editorial brasileiro entraram em contato com mais de 30 países e realizaram mais de 800 reuniões em apenas cinco dias de evento.

O Brasil estreitou relações com países estratégicos para o setor, como: França, EUA, Chile, Argentina, Alemanha, Colômbia, México, Portugal e Peru. “Participar de eventos internacionais é primordial para o setor editorial brasileiro apresentar produtos e fazer negócios com profissionais de todo o mundo. São em eventos como esse que conseguimos dar visibilidade para o nosso país em termos de negócios”, afirma Luís Antonio Torelli, presidente da CBL.

O país foi ainda um dos convidados para participar do “The Markets”, evento anual criado para discutir o funcionamento do setor em diferentes locais do mundo. O evento contou com a palestra “Reading Brazil”, sobre o mercado editorial brasileiro, ministrada por Karine Pansa, ex-presidente e atual diretora internacional da CBL, além de diretora editorial da Girassol Brasil. Outros grandes nomes do mercado editorial brasileiro também se apresentaram mostrando um pouco mais do setor no país: Miriam Gabbai, da Callis; Mariana Warth, da Pallas – profissionais que, assim como Karine Pansa, fazem parte do Brazilian Publishers, além de Tomás Pereira, da Sextante e Claudio Lensing, da Somos Educação.

Durante a Feira de Frankfurt, a CBL e a Emirates Publishers Association (EPA) oficializaram a participação de Sharjah como país homenageado da 25ª edição da Bienal Internacional de São Paulo, em 2018. O acordo foi assinado em um encontro entre Sua Alteza, o Sheikh Dr. Sultan Bin Muhammad Al Qasimi, membro do conselho supremo dos Emirados Árabes Unidos e governante de Sharja e Luis Antonio Torelli, presidente da Câmara Brasileira do Livro, na presença da Sheikha Bodour Bint Sultan Al Qasimi, Fundadora e Presidente Honorária da Emirate Publishers Association (EPA), Fundadora e CEO da Kalimat Group e de executivos da CBL.

A conversa entre o Brasil e o Emirado de Sharjah, com o objetivo de estreitar a relação entre seus mercados editoriais, começou na Feira de Livro de Londres, em 2015. Com grande população de imigrantes árabes, cerca de 12 milhões, o Brasil é considerado pela Emirates Publishers Association um dos principais mercados-alvo dos Emirados Árabes, logo atrás da Argentina com 3,5 milhões de imigrantes árabes, e o México com 1 milhão.

Fonte: Câmara Brasileira do Livro

Autor

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: