Exposição retrata o CAC e promove encontro de gerações

Para celebrar a trajetória do Clube Atlético de Cravinhos (CAC), o jornalista Kennedy Oliveira idealizou a exposição “CAC 112 anos – Encontro de Gerações”

O funcionário público Pedro Belém, o fazendeiro Acácio Reis, o major Antonio Leme e o chefe do cartório Presciliano Brandão se uniram com a juventude cravinhense e fundaram, em 12 de julho de 1906, o Clube Atlético de Cravinhos (CAC), a segunda mais antiga agremiação do Estado de São Paulo.

Dali em diante o CAC começou a construir sua história com muita glória, conquistas, momentos de alegria e até difíceis, mas que sempre foram superados pela grande nação atleticana. Por ali muitos jogadores passaram e se destacaram, técnicos conduziram as equipes para as conquistas e presidentes e diretores ajudaram na parte administrativa. Com isso o CAC se tornou temido por todos os times que enfrentou e enfrenta até nos dias atuais.

Para celebrar essa trajetória do CAC, o jornalista Kennedy Oliveira idealizou a exposição: “CAC 112 anos – Encontro de Gerações”, que teve a sua abertura oficial na quarta-feira (13/11), no Memorial Casa Libaneza – Espaço Cultural de Cravinhos, e contou com a presença de um grande público.

“O CAC sempre foi o time que todo cravinhense queria jogar, lógico que tínhamos equipes tradicionais como o Fogão, Foguinho, Paulistinha, Operário, entre outros, mas o CAC foi o primeiro a surgir e a referência de toda a molecada até os anos 80. E eu vejo que até hoje nossas crianças e adolescentes querem vestir o nosso manto grená e disputar campeonatos oficiais pela nossa equipe”, comenta o prefeito de Cravinhos, José Carlos Carrascosa dos Santos.

O evento contou com a presença de diversos jogadores e ex-jogadores que representaram o município de Cravinhos, através do CAC. Foi um encontro para relembrar momentos e diversas histórias que permearam o time cravinhense.

“A história do nosso CAC é muito grande, por isso temos muitos registros do passado e também do presente, mas tentamos em 130 fotos retratar um pouco dessa trajetória. Quero agradecer o apoio das Secretarias Municipais de Cultura, Turismo e Esporte, além da Prefeitura Municipal, que desde quando apresentei o projeto o abraçaram e incentivaram para que pudéssemos chegar a essa exposição”, revela o idealizador da exposição, Kennedy Oliveira.

Durante a festa ainda aconteceu a apresentação da “Marchinha do CAC”, que tem a letra escrita por Gilberto Garcia Filho, a melodia de Matheus Araújo, e que foi executada de forma sensacional pela corporação musical Maestro Pedrinho Amoroso Sobrinho. A qual também apresentou diversas músicas durante todo o evento.

“Só temos que parabenizar a todos que participaram dessa abertura da exposição, fizemos tudo com muito carinho e sabemos o quanto o pessoal é apaixonado por futebol. E ainda a nossa corporação musical pôde executar a música em homenagem ao CAC de forma linda”, afirma a secretária da Cultura de Cravinhos, Andréa Gaspar Carrascosa.

E quem ainda não viu exposição a mesma fica até o dia 30 de Novembro no Memorial Casa Libaneza – Espaço Cultural de Cravinhos (Rua XV de Novembro, 259 – Centro), e pode ser visitada, de forma gratuita, de 2ª a 6ª feira das 8h às 11h e das 13h às 17h.

Miss Melhor Idade Estado de São Paulo se apresenta

A noite ainda teve a apresentação para o público da Miss Melhor Idade do Estado de São Paulo, a cravinhense Estela Maria Pelegrini, que foi eleita, entre 35 municípios, para representar o Estado durante um ano. Ela pôde falar um pouco de como foi o evento e também abrilhantou ainda mais a abertura da exposição dos 112 anos do CAC.

Da Redação

A equipe Intertv Web traz para você as informações e notícias precisas que você precisa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: