Phrasal Verbs – 1st Edition

Olá estudantes e leitores do “Oh, really?!” Welcome back!

Dando continuidade a esta column, falaremos hoje sobre um tema super importante pra quem quer falar inglês: Phrasal Verbs! Oh, God!

Chamei a postagem de “1st Edition” porque os Phrasal Verbs são essenciais no domínio da língua inglesa, podendo contribuir para a aprendizagem de aspectos gramaticais, pronúncia e, claro, enriquecimento do nosso vocabulário. Nativos da língua fazem uso destes verbos a todo tempo e seu uso no inglês como língua franca, indica domínio e compreensão elevados. Assim, discutiremos mais sobre estes verbos em futuras postagens.

Mas afinal, o que é um phrasal verb, por que ele é tão usado e qual a melhor forma de estudá-lo?

Gramaticalmente, um “phrasal verb” é um verbo comum adicionado de uma preposição e/ou um advérbio, aos quais chamamos de partícula. Uma equação bem simples: phrasal verb = verb + particle.

Exemplos:

To make (verb)

To make up (phrasal verb)

To make over (phrasal verb)

Semanticamente, um phrasal verb é um verbo com significado diferente do verbo original, ou seja, a partícula adicionada muda o sentido primário ou natural do verbo. Usando os exemplos acima, “to make” significa “fazer” (no sentido de criar). Em seu sentido primário teríamos:

She makes a delicious carrot cake = Ela faz um bolo de cenoura delicioso.

No entanto, quando adicionamos uma partícula, por exemplo a partícula “over”, temos um significado diferente. Veja um exemplo na situação abaixo e tente deduzir o significado do verbo to make over antes de ler a tradução:

Você está vendo uma casa para comprar e se apaixona por uma casinha linda, no centro da cidade. A casa é extremamente prática e bem localizada, a parte estrutural está ok, sem necessidade de grandes reparos. No entanto, em sua avaliação, a decoração é decadente, as cores estão fora de moda e ela apresenta vários sinais do tempo, mas nada que um toque pessoal não resolva. Você contrata um arquiteto e um designer de interiores e divide suas intenções: quero comprar, mas antes de me mudar, we need to make the house over.

O que você precisa fazer antes de mudar?

To make over = mudar a aparência de alguma coisa, renovar.

O uso da partícula “over” deu ao verbo “to make” um significado diferente do original.

Outro exemplo:

Você tem um amigo que está sempre contando vantagem e histórias inacreditáveis. Ele chega de sua última viagem contando uma história fantástica de como foi barato viajar de classe executiva para a Tailândia e ficar em um hotel 5 estrelas, comendo do bom e do melhor só com milhas do cartão. O sortudo diz que só pegou sol, viu centenas de espécies de peixes raros em um mergulho de tirar o fôlego e, de quebra, ainda encontrou com Leonardo DiCaprio fazendo um remake do filme “A Praia”. Chego para você e pergunto: é verdade que ele encontrou com Leonardo DiCaprio? Você responde: claro que não! He made up the story!

To make something up = inventar uma história ou mentir sobre algo.

Novamente, o uso da partícula alterando o sentido original e puro do verbo, dando a ele outro significado.

Deu para ter uma ideia da razão pela qual nativos usam muito os famosos phrasal verbs?

Eles representam uma linguagem coloquial, rotineira e (geralmente) informal, fazendo a comunicação (ao menos dos nativos da língua) mais rápida e simples. Outra vantagem é que ao adicionar uma partícula ao verbo original, temos a oportunidade de, com poucos verbos, expressar uma infinidade de significados. É muita opção! Também levamos em consideração que centenas de gerações cresceram usando estes verbos, originais das línguas germânicas, isso significa dizer que eles são usados já há muito tempo e foram perpetuados na comunicação, principalmente na comunicação oral.

Estudar phrasal verbs pode ser complicado se não usarmos as técnicas corretas. Considerando a quantidade de verbos e partículas existentes em inglês, o total de combinações pode ser exponencial. Soma-se a isso o fato que de em alguns casos, não existe tradução literal para o português. Aí é que vem a armadilha do ensino-aprendizagem: a estratégia de estudar phrasal verbs através das decorebas “verb lists”. O resultado: você pode até saber a tradução, mas dificilmente vai conseguir empregar o phrasal verb em uma frase, principalmente quando estiver conversando em inglês. Phrasal verbs são importantes de serem entendidos dentro de um CONTEXTO, ou seja, se aprende entendendo o seu significado e aplicação em uma dada situação.  Assim, peça sempre ao seu professor para explicar o conteúdo através de um cenário ou um exemplo.

Para terminar, conto mais uma curiosidade sobre esses verbos incríveis e que podemos explorar em uma segunda ou terceira edição: a maioria dos phrasal verbs tem um verbo gêmeo, ou seja, um verbo comum que tem o mesmo sentido (ou similar). Geralmente, o phrasal verb tem origem no Old English (língua germânica) e o verbo gêmeo no Latim. Usando um dos exemplos acima:

se em inglês “to make over” significa renovar, que verbo gêmeo poderíamos usar aqui?

Isso mesmo: “to renovate”! Parecido com o verbo em português “renovar” (do latim renovare).

Claro que podemos sempre optar pelo uso do verbo gêmeo quando somos o locutor (quem fala), se isso for mais fácil para nós. Mas quando somos ouvintes e, portanto, os receptores, a compreensão e o entendimento dos phrasal verbs são essenciais para uma comunicação de qualidade.

Fiquem ligados nas próximas postagens and let’s stick together!

Stella Correa

Stella Corrêa é Administradora de Empresas, Mestre em Ciências pela USP, Professora certificada CELTA e entusiasta da educação bilíngue. Sua coluna “Oh, really?!” vai ao ar às quartas-feiras.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: