Banco do Povo de Cravinhos é o 7º melhor do estado de São Paulo

Com a menor taxa de juros entre as instituições financeiras do país, a 0,35% ao mês, o Banco do Povo credita valores para capital de giro e investimento fixo.

O Banco do Povo Paulista é o Programa de Microcrédito Produtivo desenvolvido pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, com o objetivo de promover o desenvolvimento socioeconômico e a criação de oportunidades.

Com a menor taxa de juros entre as instituições financeiras do país, a 0,35% ao mês, o Banco do Povo credita valores para capital de giro e investimento fixo, como a aquisição de mercadorias em geral, matérias-primas, máquinas, ferramentas, equipamentos, veículos e até mesmo itens para publicidade e divulgação do empreendimento.

Desde o ano de 2001, o Banco do Povo de Cravinhos vem realizando atendimento aos microempreendedores da cidade, sendo os financiamentos feitos inicialmente pelo Banco do Brasil, e agora exclusivamente pelo Banco Desenvolve-SP.

“O objetivo é oferecer financiamentos para empreendedores formais ou informais, associações e cooperativas produtivas ou de trabalho, as quais precisam de recursos para investir em seu negócio”, explica o gestor da unidade e agente de crédito do Banco do Povo Paulista de Cravinhos, Eduardo Roberto Estella dos Santos.

Mesmo com a Pandemia de Coronavírua que assolou o mundo, o Banco do Povo de Cravinhos se destacou, porque conseguiu beneficiar 180 microempresários da cidade, com um total de R$ 950 mil emprestados durante o ano passado. O que possibilitou com que o Banco do Povo cravinhense fosse consagrado o 7º melhor do Estado de São Paulo.

“Há dois anos atrás nosso Banco do Povo estava em 16º lugar, mas não paramos de trabalhar e incentivar aos clientes a fazerem empréstimos em nossa unidade. Chegamos em 7º lugar, porque tudo é feito por mim e pela Graziela com carinho e amor, nosso prazer é ver o comércio girar e crescer. E ainda ter o orgulho de dizer que temos uma das menores inadimplências da região”, revela Eduardo Estella.

Em Cravinhos foram poucos os comércios que tiveram que fechar suas portas, muitos investiram, ampliaram, mas não desistiram de suas empresas.

“Mesmo com a crise do ano passado, o nosso Banco do Povo continuou a ser procurado, por isso fomos nos destacando. Diferente de cidades como Ribeirão Preto, que além de diversas empresas fecharem, ainda caiu muito o pedido de empréstimo na unidade deles”, diz Eduardo Estella.

O gestor da unidade e agente de crédito do Banco do Povo Paulista de Cravinhos, Eduardo Estella, e a agente de crédito de Cravinhos, Graziela Caldas
Foto: Divulgação

O que demonstra que o Banco do Povo de Cravinhos cresce a cada ano é que a unidade cravinhense, atualmente, chefia a regional administrativa da região de Ribeirão Preto. Inclusive há dois anos também foi feita uma parceria com o Sebrae de Cravinhos, o que possibilita com que sejam oferecidos cursos a todos os clientes que procuram o Banco do Povo.

Empréstimo do Banco do Povo Paulista varia entre R$ 200 e R$ 21 mil
Foto: Divulgação

Inadimplência baixa

Apesar de ter aumentado o número de financiamentos pelo Banco do Povo de Cravinhos, a inadimplência é uma das menores da região, sendo de 2,1%.

“No Estado de São Paulo só Cravinhos e Espírito Santo do Pinhal conseguiram diminuir a inadimplência. Isso é uma vitória, porque a situação que vivemos hoje, é difícil os empresários manterem os seus negócios, e o que posso afirmar é que aqui em nossa cidade o comércio não parou de girar”, conta o gestor da unidade de Cravinhos.

E se existe alguma fórmula mágica para que a inadimplência venha caindo a cada ano, os dois funcionários do Banco do Povo são bem enfáticos: não.

Os agentes de crédito de Cravinhos emprestaram pelo Banco do Povo, em 2020, R$ 950 mil
Foto: Divulgação

“O que acontece é que mostramos para eles que o comércio deles é necessário, que eles não só ajudam a si próprio, mas também a outros comerciantes, e com isso o dinheiro gira dentro da cidade. Caso atrase em uma ou outra parcela, já falamos para renegociar e assim vamos dando um voto de confiança para eles, e os mesmos retornam pra gente. Isso é muito gratificante”, diz a agente de crédito, Graziela Caldas.

Os valores de liberação do Banco do Povo Paulista variam de R$ 200 a R$ 21 mil, e os interessados em conhecer mais as formas de financiamento podem procurar diretamente o Banco do Povo Paulista, que fica localizado na Rua Dr. José Eduardo Vieira Palma, 52. Funciona de 2ª a 6ª feira das 7h30 às 11h e das 13h às 16h30. Mais informações pelo telefone (16) 3951-7382. Todos os protocolos de Saúde estão sendo obedecidos, e se faz obrigatório o uso de máscara.

O casal Marta e Alessandro se utilizaram do Banco do Povo para a abertura da loja “Amarelinha Boutique”
Foto: Divulgação

Uma nova loja surge com a ajuda do Banco do Povo Paulista

Os empresários Marta Lopes dos Santos e Alessandro de Souza Ananias, estão à frente da loja “Amarelinha Boutique – moda bebê e kids”, que fica na Rua Antônio Luiz Neto, 556, no Jardim Aliança. E contaram com a ajuda do Banco do Povo Paulista de Cravinhos para realizarem o empreendimento.

– Como surgiu a oportunidade de se utilizar do Banco do Povo?

Surgiu a ideia na hora que resolvi montar a loja física, então falei preciso de um crédito para poder me ajudar na realização do meu sonho.

– O dinheiro que você pegou no Banco do Povo serviu para que?

Foi para fazer a loja, comprar os móveis, fazer a reforma, colocar portas de vidros ferros, entre outros.

– Como foi o atendimento dos agentes do Banco do Povo?

Ótimo e excelente, o Eduardo desde o primeiro momento me ajudou bastante pois viu que precisava desse incentivo para começar a trabalhar.

– Mesmo após a liberação do dinheiro, os agentes do Banco do Povo continuaram a te auxiliar?

Com certeza sempre estão me auxiliando no que podem.

– Você pretende utilizar mais vezes o Banco do Povo de Cravinhos?

Sim eu pagando o financiamento certinho, quero refazer o financiamento. E super recomendo o Banco do Povo para os que precisam de um crédito, e querem começar a trabalhar.

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: