Empréstimo para pagar estudos vale a pena?

Ter a possibilidade de escolher a universidade dos seus sonhos não tem preço, não é mesmo? No entanto, nem sempre as nossas condições financeiras são propícias para que isso aconteça.

Considerando, ainda mais, a situação atual que vivemos no país por conta da pandemia que maximizou a crise econômica. Às vezes, por sermos muito jovens, mesmo colocando esforço em nosso emprego e sem poder contar com ajuda de outras pessoas, fazer uma graduação com valores mais acessíveis pode também não acontecer.

É por essa e outras várias razões que a gente pensa: será que vale a pena fazer um empréstimo pessoal para estudar? Ou será que um financiamento estudantil não seria melhor?

A verdade é que existem várias modalidades disponíveis, mas antes vamos explicar sobre cada uma delas e descobrir aquela que é a mais adequada ao seu caso. Para saber mais, siga com o artigo abaixo!

Foto: Divulgação

Afinal, existe empréstimo ideal para os estudos?

Não existe empréstimo ideal para pagar os estudos. Tudo vai depender do seu perfil financeiro e de como você pagará. Porém, independentemente se for uma graduação, especialização, curso livre ou qualquer outro tipo de estudo, você pode e deve solicitar um empréstimo pessoal. Mas é importante lembrar que esse tipo de crédito é indicado quando o valor a ser investido é muito alto e realmente seu orçamento não comporta o gasto.
Afinal, tudo que é relativo à educação e à formação pessoal são investimentos que devem ser feitos. Considerando que em um futuro bem próximo, um empréstimo online será a oportunidade de crescer profissionalmente, trazendo retorno financeiro.

 

Opções de empréstimo para estudos

Existem várias modalidades de empréstimo online, tais como: Empréstimo consignado;

Empréstimo para autônomo; Empréstimo pessoal; e Empréstimo com garantia.

Para escolher uma dessas modalidades, você precisa analisar os pré-requisitos que você atenda. Porém, seguem dois desses empréstimos online que são mais aconselháveis.

 

Empréstimo com imóvel em garantia

O empréstimo com garantia de imóvel, que também é conhecido como refinanciamento de imóvel, você tem a possibilidade de colocar a sua casa como garantia de quitação do crédito.

A principal vantagem dessa modalidade é que as taxas de juros são mais bem baixas comparadas a outros tipos de empréstimo. O motivo principal é que o risco de inadimplência é baixo.

Foto: Divulgação

Empréstimo pessoal estudantil

Hoje em dia, muitas instituições financeiras fornecem esse tipo de empréstimo pessoal voltado aos estudantes. As taxas de juros são menores do que as outras opções de crédito existentes. Os pré-requisitos, normalmente, para fazer essa contratação do empréstimo pessoal são: O estudante tem que ser maior de 18 anos; Apresentar um extrato bancário ou um comprovante de renda; e ter comprovante de residência.

 

E financiamento? Vale a pena?

Sim, vale a pena ter um financiamento. Mas, mais uma vez, é importante entender como funciona o financiamento e se você tem o perfil necessário para a contratação desse serviço. Para você entender mais: esse tipo de crédito permite você financiar as mensalidades do seu curso e somente pagar o saldo devedor após a conclusão deste.

 

Tipos de financiamento estudantil

Existem algumas modalidades de financiamento disponíveis, provavelmente uma delas será a mais adequada ao seu perfil: Financiamento público; Financiamento privado; e Financiamento bancário.

 

Financiamento público

Como financiamento público temos o FIES que é um programa do Governo Federal. O FIES financia o valor parcial ou integral das mensalidades dos cursos de graduação. Porém, existem alguns pré-requisitos para ter acesso, tais como:

 

– Saber se o curso de interesse faz parte desse programa;

– Preciso passar por uma seleção baseada na nota obtida no ENEM;

– É necessário ter boa nota na prova para conseguir o benefício, já que são poucas vagas;

– Renda per capita de até três salários mínimos;

– Disponibilidade de, no mínimo, 20% da sua renda;

– Em alguns casos, precisa também de um fiador.

 

O FIES tem a vantagem de ter taxas de juros baixas em comparação a qualquer outro tipo de crédito e os prazos longos para pagamento. Só é necessário quitar a dívida após 18 meses da conclusão do curso.

Foto: Divulgação

Financiamento privado

O financiamento estudantil privado funciona da mesma forma que um empréstimo. Você contrata o serviço e recebe o dinheiro para pagar a sua faculdade. Além disso, ele difere do FIES em: Você tem um prazo fixo para quitar todo o valor da dívida; Há possibilidade de ser solicitado para pagar apenas um semestre; As taxas de juros costumam ser mais altas em comparação ao FIES, além de somar taxas administrativas e outros tipos de ajustes; Não é necessário que você faça a prova do ENEM ou ter algum pré-requisito com relação à sua renda familiar.

 

Financiamento bancário

Os pré-requisitos para o financiamento estudantil bancário são: Você precisa ser correntista do banco escolhido; não precisa se encaixar em nenhum dos critérios exigidos pelo FIES (como ter realizado o ENEM ou comprovação de renda).

Já sobre as condições gerais, como as taxas de juros, os prazos para quitação, entre outros, vão variar de banco para banco.

 

Escolhendo a melhor opção

Seja contratar um empréstimo pessoal ou um financiamento estudantil, é importante saber que cada uma tem as suas vantagens e desvantagens. Cabe analisar aquele crédito que mais se encaixa em seus pré-requisitos, além de considerar o seu perfil econômico.

De qualquer maneira, não se esqueça que independentemente de você optar por um ou outro, a possibilidade de viabilizar um diploma universitário para quem não tem condições é um investimento que não tem preço.

Afinal, imagine poder cursar medicina, curso em que as mensalidades são extremamente altas e não abrir mão desse sonho só porque você não tem como arcar?

Foto: Divulgação

Cuidado com as finanças

É importante fazer algumas ressalvas antes de bater o martelo de assinar um contrato, seja de um empréstimo pessoal ou de um financiamento estudantil.

Ainda que você escolha por uma das modalidades acima, é uma dívida que você está fazendo. Então, mesmo após receber o seu diploma, você precisará quitar esse crédito e o valor pago será maior do que você solicitou.

Então, pesquise ao máximo e compare todas as instituições financeiras, considerando as condições oferecidas para escolher aquela que é a mais vantajosa para você.

Ah, depois conte para gente aqui embaixo qual das modalidades que você achou mais vantajosa e o porquê!

Da Redação

A equipe Intertv Web traz para você as informações e notícias precisas que você precisa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: