O que avaliar na hora de pedir um empréstimo?

Taxa de juros, prazo de pagamento, custo de oportunidade, diferentes modalidades. Entenda os pontos a serem avaliados antes de contratar um empréstimo.

Empréstimos podem ser um recurso altamente benéfico para as pessoas e, de modo geral, são essenciais para o funcionamento da economia. Mas eles também apresentam riscos e detalhes complexos, que precisam ser bem avaliados antes de o consumidor realizar a contratação.

Neste artigo, trataremos sobre os principais pontos que você deve considerar ao pedir um empréstimo, como: taxa de juros, custo de oportunidade, prazo para pagamento, garantias, planejamento para pagar as parcelas, recursos financeiros alternativos etc.

Entender melhor esses pontos pode evitar que você faça um negócio ruim e até mesmo piore a sua situação financeira.

Foto: Divulgação

Preciso de um empréstimo: por onde começo?

O processo de contratação de um empréstimo deve ser feito com cuidado. O consumidor não pode cair na tentação do crédito fácil e nem pode ir aceitando qualquer opção que pareça vantajosa, sem antes refletir sobre a necessidade de contratar o serviço e como as condições do empréstimo se encaixam nas suas necessidades e no seu orçamento.

 

Avalie a real necessidade do dinheiro

O primeiro passo a ser dado é, sem dúvidas, refletir sobre a real necessidade de contratar um empréstimo. O consumidor deve considerar as suas necessidades atuais, ou seja, aquilo que motiva a contratação do empréstimo.

Muita gente, por exemplo, contrata um empréstimo apenas para adquirir bens de consumo, como alimentos, roupas e acessórios. Essa finalidade, no entanto, não é uma boa justificativa para contratar o serviço.

Nesse caso, é possível recorrer a alternativas mais vantajosas, como o pagamento à vista, o pagamento parcelado no cartão (lembre-se de pagar a fatura à vista, para não cair no rotativo) ou simplesmente adiar a aquisição dos bens em questão.

O consumidor também precisa estar atento ao custo de oportunidade do empréstimo em questão. Ou seja, é possível usar o dinheiro gasto para pagar o empréstimo de forma mais vantajosa?

Opções de crédito com taxa de juros mais baixas, poupar para pagar à vista, fazer um investimento financeiro e recorrer à ajuda de um parente ou amigo são exemplos de alternativas que tornam a contratação de um empréstimo menos vantajosa.

Foto: Divulgação

Analise o seu planejamento financeiro pessoal

O planejamento financeiro é essencial para quem deseja contratar um empréstimo. Antes de contratar o empréstimo o consumidor precisa ter uma ideia clara de sua atual situação financeira e se ele conseguirá arcar com os custos da operação.

É preciso organizar o orçamento de modo a conseguir pagar todas as parcelas sem sufoco. Organize os seus gastos e suas fontes de renda e corte, se necessário, aqueles gastos que não são essenciais.

Os especialistas recomendam que não se comprometa mais que 35% do orçamento mensal com gastos de longo prazo, incluindo aí as parcelas de um empréstimo.

Foto: Divulgação

Em que ocasiões é recomendado pedir um empréstimo?

Empréstimos geralmente são indicados em três ocasiões.

A primeira são as emergências financeiras, quando precisamos de pouco dinheiro, mas num prazo muito curto, e não temos garantias para oferecer ou outras fontes de dinheiro disponíveis.

Nesse caso, o empréstimo pessoal e as linhas de crédito pré-aprovadas são exemplos de alternativas recomendadas – lembre-se, porém, que elas apresentam taxas maiores!

A segunda ocasião é quando queremos adquirir um bem de grande valor, como um imóvel ou um veículo. Nesse caso, um financiamento (que pode ser considerado um tipo de empréstimo) é mais recomendado.

Por último, temos as ocasiões em que o empréstimo será usado como um investimento, cujo retorno será superior aos custos da operação. Nesse caso, geralmente as linhas de crédito para empresas e autônomos são mais recomendadas.

Foto: Divulgação

Pedindo empréstimo: o que avaliar

Na hora de pesquisar pela opção de empréstimo mais adequada, o consumidor precisa considerar uma série de detalhes. Confira quais são eles a seguir.

 

Observe as taxas de juros

A taxa de juros é com certeza o elemento mais importante de um empréstimo, pois é o principal custo pago pelo consumidor. Lembre-se de que os juros cobrados em empréstimos geralmente são compostos, o que significa que eles crescem a cada mês.

Portanto, é recomendado escolher a opção com a menor taxa de juros. Entre as modalidades de crédito, empréstimos pessoais, rotativo do cartão de crédito e cheque especial figuram como as que têm maior taxa.

Por outro lado, empréstimo consignado, empréstimo com garantia e financiamentos costumam apresentar os juros mais baixos.

Normalmente, a taxa de juros é proporcional à facilidade de conseguir o empréstimo. Os empréstimos com maior taxa de juros são voltados às pessoas com menor score, inadimplentes ou que não têm garantias para oferecer.

O prazo de pagamento também impacta na taxa de juros. Quanto maior ele for, maior será a taxa cobrada.

 

Considere os custos adicionais

Outros custos do empréstimo, no entanto, precisam ser levados em consideração. Além dos impostos, em especial o IOF (Imposto sobre operações financeiras) as instituições podem cobrar taxas pela contratação do serviço.

O ideal é que o consumidor verifique o CET (Custo Efetivo Total) do empréstimo, que indicará o custo total com a operação, incluindo todas as taxas, tarifas e impostos.

 

Verifique os prazos de pagamento

O prazo de pagamento do empréstimo é outro detalhe importante. Lembre-se que nem sempre o prazo mais longo é o mais vantajoso. Como dissemos, a taxa de juros geralmente é maior se o prazo também for maior.

Um prazo muito longo também significa que você vai passar mais tempo comprometendo a sua renda com o pagamento das parcelas. Por outro lado, um prazo curto demais implicará parcelas maiores e menos tempo para quitar a dívida. Procure, portanto, a opção de empréstimo que se encaixa melhor no seu planejamento financeiro.

Foto: Divulgação

Compare diferentes modalidades

Esteja atento ao tipo de modalidade de empréstimo que você deseja contratar. As condições, as vantagens e os riscos mudam de uma modalidade para outra.

Empréstimos com garantia de veículo, por exemplo, apresentam taxa de juros mais baixa, porém são recomendados para quem conta com esses bens para oferecer como garantia e deseja um volume de crédito maior.

Para quem está inadimplente, empréstimos com garantia e empréstimos consignados são os mais recomendados. Também é possível recorrer a um empréstimo pessoal, mas esteja preparado para pagar uma taxa mais alta.

 

Use a tecnologia a seu favor

Na hora de pesquisar pelo empréstimo mais adequado, recomendamos utilizar os simuladores de empréstimos. Essas ferramentas fazem uma comparação automática das principais opções de empréstimo disponível e mostram ao consumidor quais apresentam as condições mais vantajosas. Em alguns casos, é possível iniciar a contratação do empréstimo dentro da própria plataforma.

O Juros Baixos disponibiliza um dos melhores simuladores de empréstimo do Brasil. Trabalhamos em parceria com instituições financeiras altamente confiáveis e uma grande variedade de empréstimos. Confira agora mesmo!

 

*A Coluna de Economia é veiculada e produzida pela equipe do site Juros Baixos (www.jurosbaixos.com.br).

Da Redação

A equipe Intertv Web traz para você as informações e notícias precisas que você precisa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: