Avaliação constante

Professor, aumenta minha nota? Quem for professor e nunca tiver escutado essa pérola, que levante a mão! A nota é uma aflição constante dos estudantes, principalmente daqueles que estão prestes a serem retidos por poucos pontos.

Eu completaria dizendo que o problema inicial nem é a nota, é a prova! Mas a questão central para nossa discussão não é aumentar ou não a pontuação de uma prova. É saber em que medida a prova, sozinha, realmente avalia o aprendizado.

Avaliação sim, mas prova, nem sempre funciona. Como assim? Conforme passam os dias, meses, bimestres, semestres, o professor tem que se certificar de que o aluno está absorvendo o conteúdo. A questão é que nem sempre a prova final, a avaliação quantitativa, é a melhor opção. Ela não precisa deixar de existir, mas o professor pode escolher outras opções de avaliação para conferir o nível de aprendizado do aluno.

Dependendo da idade do aluno, por exemplo, atividades em grupo podem servir bem para avaliar o aprendizado. Em outros casos, individualmente, o aluno pode manifestar o que aprendeu por meio de exercícios práticos ou teóricos. A periodicidade destes também é valiosa, pois avaliar pode ser mais produtivo e trazer resultados mais próximos do real quando se é feito com mais frequência. A cada aula, a cada semana, a cada mês. Depende da quantidade de alunos, da estrutura e das ferramentas.

Em alguns casos a tecnologia pode nos ajudar, e muito! Em grupo, por exemplo, podem ser usadas ferramentas colaborativas que incentivem o debate entre os estudantes. Questionários online respondidos após cada aula, podem dar ao docente um cenário mais próximo sobre a absorção dos conteúdos. E a tradicional avaliação bimestral ou semestral não precisam sair da rotina. Elas seriam apenas intermediadas por outras que poderão, inclusive, aumentar o rendimento dos alunos.

O Google nos traz um leque de opções, entre elas o Google for Education que podem ajudar professores e alunos diariamente no ensino e na aprendizagem. Medir o que o aluno está aprendendo é importante para que o professor, inclusive, possa preparar uma prova final mais adequada. Avaliar com frequência ajuda também a diminuir a decoreba tradicional e o pavor que se instala no período de provas.

Autor

Caroline Petian

É jornalista e doutora em Comunicação e Cibercultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *