Seu sócio e você

Uma sociedade, de maneira geral, é a união de pessoas que compartilham os mesmos propósitos. Quando escolhemos um sócio, geralmente buscamos um parceiro que some suas forças às nossas, aumentando as chances de sucesso do negócio.

Acontece que, com o passar do tempo, as diferenças que antes pareciam qualidades podem se tornar motivo de discussões, brigas e até culminar em dissolução da parceria iniciada. Pode parecer exagero, mas é exatamente assim que acontece também num casamento.

Escolhemos compartilhar nossas vidas com alguém que admiramos e que normalmente possui características diferentes das nossas que, por isso, nos equilibram. Então, não é uma regra, mas calmos são atraídos por pessoas mais agitadas, introvertidos por extrovertidos e pessoas de exatas por pessoas de humanas. Uma combinação perfeita, não é? Nem sempre…

Acontece que, depois de um tempo, a calma que antes lhe trazia paz passa a lhe irritar, a extroversão que lhe agradava agora incomoda e o lado super humano do parceiro já virou exagero. As mentes e corações que antes andavam de mãos dadas tomam caminhos diferentes e andam a passos largos para uma separação iminente.

Mas, este fim não precisa ser uma regra. Apesar de ser difícil, ele pode ser evitado com um pouco de esforço e desejo de recomeçar. Isso se chama renovação. Da mesma forma que funciona para o casamento também é para a sociedade.

É necessário evitar os desgastes do dia a dia, mantendo o respeito e uma comunicação adequada e, mas quando acontecerem, o desejo de continuar junto deve nos dar força para nos renovarmos, reconhecermos os nossos erros, nos desculparmos e, novamente, nos comprometermos com o nosso parceiro no nosso projeto de vida.

Antes de pensar em trocar avalie se você ainda mantém as mesmas características positivas do início do relacionamento. É possível que você tenha mudado ou quem sabe até se desmotivado na caminhada e só esteja vendo os pontos negativos dele. Mas ainda dá tempo de recomeçar! Tenha em mente que trocar de “sócio” é trocar de problema e que nem sempre a melhora da relação vem da outra parte. Aliás, na maior parte das vezes, vem de dentro de nós mesmos!

(Colaboração Elisa Simões)

Autor

Luis Fernando Câmara

É presidente da Vox2You – a Arte de falar bem, e empreendedor desde a adolescência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *