Empresário supera a perda e comemora Dia dos Pais com Sofia

Fabrício Freitas viu o nascimento de sua filha, mas depois de duas semanas sua esposa sofreu um infarto e não sobreviveu. Mesmo assim, ele teve forças para superar tudo e cuidar da pequena Sofia

A mensagem que deixo neste Dia dos Pais é uma frase do Ayrton Senna de que gosto muito: “Somos insignificantes. Por mais que programe sua vida, a qualquer momento tudo pode mudar”. Diante disso, não deixem de curtir cada momento de suas vidas seja com seus filhos(as) ou outras pessoas.

Em Maio de 2016, o administrador de empresas, residente em Ribeirão Preto, Fabrício de Freitas, atualmente com 37 anos, teve uma das maiores felicidades que um homem pode ter, se tornou pai. A pequena Sofia veio ao mundo, através da feliz união dele com a sua esposa Flávia Pasquetta. Logo que nasceu, os pais descobriram que a bebê tinha Síndrome de Down. Dois dias depois precisou fazer uma cirurgia.

Devido à cirurgia, Sofia teve que ficar internada, e Flávia ficou por perto durante todo o tempo. Entretanto, depois de uma semana da operação, Flávia foi até o hospital visitar Sofia, mas sofreu um infarto. Ela ficou internada durante uma semana, mas não sobreviveu.

“Foram sentimentos de alegria, medo e tristeza num espaço muito curto de tempo, mas acho que tive serenidade para tomar as decisões corretas e conseguir vencer da maneira menos dolorida possível. A perda da Flávia foi um golpe muito duro”, comenta Fabrício Freitas.

A chegada da bebê foi planejada e tudo ocorreu bem durante a gestação, entretanto depois de 10 anos de casamento, Fabrício se viu somente com Sofia. A maior preocupação agora estava em como fazer para alimentar a sua filha. Foi então que lançou uma campanha nas redes sociais para a doação de leite materno.

“Inicialmente a minha maior preocupação foi a alimentação, por isso fiz a campanha de doação de leite, depois de me informar das necessidades dela devido à Síndrome de Down”, revela o administrador de empresas.

E a mensagem passada por Fabrício nas redes sociais foi bem absorvida e repassada por muitas pessoas, tanto que os refrigeradores do banco de leite do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP) registrou um aumentou de 30%. E a doação não estava ajudando somente Sofia, mas também muitos outros bebês estavam internados no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e precisavam do leite materno.

Esse é o segundo Dia dos Pais que Fabrício celebra com Sofia, que completou um ano e dois meses. E mesmo com Síndrome de Down, o objetivo do ribeirão-pretano é que Sofia possa ter autonomia e que ele seja a diferença na vida de sua filha.

“Ser pai pra mim é conseguir fazer a diferença na vida do seu filho(a), esse é meu objetivo com a Sofia, me esforço pra que tenha oportunidades e autonomia. A Sofia é o fruto do meu amor vivido com a Flávia e a base da construção da minha vida a partir da perda dela. É o meu passado e futuro, que me faz viver o presente”, afirma Fabrício Freitas.

Ainda segundo Freitas, Sofia mudou a sua vida, tornando-o um ser humano com maior capacidade de entender que as pessoas são únicas e todas têm seu potencial.

Durante a semana, o administrador de empresas tem a ajuda dos pais e de outras duas pessoas para cuidarem de Sofia, além dos profissionais que vão até a sua residência para realizar as sessões de terapias com ela.

E, para celebrar esse Dia dos Pais, a família Freitas estará reunida. Não faltarão alegria e diversão junto da pequena Sofia.

“Iremos celebrar em casa mesmo, junto com o restante da família. Tenho dois irmãos casados e três sobrinhos, além dos meus pais. Por isso tenho certeza de que será um dia de muita alegria e união”, diz Fabrício.

E Fabrício tem, obviamente, a chance de fazer seu pedido de presente nesse Dia dos Pais, mas ele afirma não querer nada de material.

“Quero que a crise política/econômica no Brasil seja resolvida o mais breve possível. Muitas famílias sofrem com a falta de emprego, saúde, educação etc. Gostaria de ver as coisas funcionando em nosso país”, completa o administrador de empresas.

Graças à ajuda de amigos, familiares e de toda a rede criada para a doação do leite materno, além de todo cuidado e amor, Sofia hoje é uma criança alegre, cheia de vida e poderá celebrar muito este dia com o papai Fabrício. Ela é prova de que quando há união é também possível salvar vidas.

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: