Paróquias celebram Corpus Christi com missas, procissões e ensinamentos

Corpus Christi, celebrado pelos católicos, é uma homenagem ao “mistério da eucaristia”: o sacramento do corpo e do sangue de Jesus Cristo

A Matriz São José de Cravinhos, a Paróquia Santa Luzia e todas as Igrejas da região promoveram na manhã de quinta-feira (15/06), Dia de Corpus Christi (expressão latina que significa o “Corpo de Cristo”), grande missa e procissão que percorreu os arredores dos locais. A festa é celebrada anualmente e sempre ocorre na quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade.

Tudo começou com a religiosa Juliana de Cornellon, nascida na Bélgica, em 1193. Segundo alegou, teve insistentes visões da Virgem Maria ordenando-lhe a realização de uma grandiosa festa. Juliana (mais tarde Santa Juliana) afirmava que a festa seria instituída para honrar a presença real de Jesus na hóstia, ou seja, o corpo místico de Jesus na Santíssima Eucaristia.

Padre Luís Gustavo Benzi e Cônego Ronaldo Vianna celebraram a missa na Matriz São José
Padre Luís Gustavo Benzi e Cônego Ronaldo Vianna celebraram a missa na Matriz São José

Ainda quando era bispo, o papa Urbano IV teve conhecimento dessas visões e resolveu estendê-la à Igreja Universal, o que então já era uma verdadeira festa. Pela bula “Transituru do Mundo”, publicada em 11 de agosto de 1264, Urbano IV a consagrou em todo o mundo, com uma finalidade tríplice: Prestar as mais excelsas honras a Jesus Cristo; pedir perdão a Jesus Cristo pelos ultrajes cometidos pelos ateus e protestar contra as heresias dos que negavam a presença de Deus na hóstia consagrada.

No Brasil, a festa de Corpus Christi chegou com os colonizadores portugueses e espanhóis. Na época colonial, a festa tinha uma conotação político-religiosa. É que dias antes das procissões, as câmaras municipais exigiam que as casas de moradia e de comércio fossem enfeitadas com folhas e flores.

As procissões

O que marca a festa de Corpus Christi são as procissões, quando ocorrem as ornamentações das ruas com tapetes feitos de vários tipos de materiais, como papel, papelão, latinhas de bebidas, serragem colorida, isopor etc. Desenhos são elaborados nessa ornamentação com as figuras de Jesus, do cálice da Ceia, da Virgem Maria, entre outros.

Procissão com fiéis percorreu diversas ruas ao redor da Matriz São José, em Cravinhos
Procissão com fiéis percorreu diversas ruas ao redor da Matriz São José, em Cravinhos

Em algumas paróquias de municípios da região de Ribeirão Preto utilizam-se toneladas de materiais para formar os tapetes vistosos e admirados pelos que acompanham as procissões. A cidade de Ibitinga é um dos lugares que mais recebem fiéis em Corpus Christi devido aos grandiosos “tapetes” que são confeccionados nas ruas do Centro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: