Hortaliças e pequenas produções também necessitam de monitoramento no solo

O sensor de umidade funciona em qualquer tipo de solo e não depende de aparelhagem extra ou serviços de manutenção constantes

hortalicas-e-pequenas-producoes-tambem-necessitam-de-monitoramento-no-solo

Quantificar a umidade do solo permite ao produtor saber exatamente qual o momento certo para irrigar. Isto significa que, a partir da quantificação, observa-se de imediato uma economia direta de utilização de água e energia. Esse cuidado permite uma melhor influência sobre a saúde das plantas.

Independente do porte da produção, quando não ocorre o devido controle, há grandes perdas agrícolas devido ao excesso de líquido no solo, devido à alta diluição de nutrientes e controles osmóticos das plantas.

Para levar essas informações precisas, a um preço justo, e que fique ao alcance também do pequeno e médio produtor, a Umisolo empresa brasileira que desenvolve e acredita na tecnologia como meio de sustentabilidade e eficiência, lança um aplicado que monitora as condições do solo e fornece as informações necessárias. O sistema é compatível com todas as plataformas e pode ser instalado em celulares baixando na playStore. Para que se mantenha atualizado, basta estar conectado à internet, porém sua utilização pode ser off-line.

Lawrence Boechat, um dos diretores da empresa, explica que o produto é uma ideia completamente nova no mercado, pois utiliza uma interface de medição através de smartphone. Ele também afirma que outras soluções existem, porém são produtos importados que não possuem manutenção na esfera nacional, acompanham um elevadíssimo custo e não atendem o mercado de pequenos produtores e jardins. “O nosso sistema dispensa aparelhagem extra, fazendo o custo ser extremamente viável, atribuído somente a tecnologia do sensor, que é inteiramente nacional”, destaca.

Somado a isso, há o grande número de smartphones em uso no Brasil, que já supera o da população Brasileira. “Numa pesquisa de campo, constatamos que todos os pequenos produtores da região de São Carlos, inclusive os mais humildes, possuíam celulares compatíveis com o nosso aplicativo em desenvolvimento. Portanto, a fatia de mercado assim como a demanda por este tipo de produto é altíssima”, destaca Boechat.

Fonte: Carolina Lara Comunicação Empresarial

 

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *