Mercado Municipal de Ribeirão Preto celebra 117 anos de fundação

Para celebrar os 117 anos do Mercadão Municipal de Ribeirão Preto, um bolo de 90 quilos foi oferecido a todos que passaram pelo local no sábado (28/09)

No ano de 1993, o prédio do Mercado Municipal de Ribeirão Preto foi tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo), assim se tornando um ponto turístico da cidade ribeirão-pretana. E não são somente moradores da cidade que realizam suas compras no local, porque pessoas de toda a região sempre estão procurando os mais diversos produtos no local, desde um simples tempero até produtos para animais de estimação, panelas, antiguidades, peixes frescos e claro o tradicional suco natural (feito realmente de frutas que podem ser encontradas em bancas do local) e os famosos pastéis.

Em torno de 2500 pessoas passam diariamente pelo local
Em torno de 2500 pessoas passam diariamente pelo local

“O Mercado municipal talvez seja uma das mais antigas construções da nossa cidade. Ele completa 117 anos e se confunde com a história de Ribeirão Preto. É um monumento do município, não só porque foi tombado e oficializado como ponto turístico, mas também porque todos da cidade têm como referência esse lugar. A vida econômica de Ribeirão Preto começou aqui”, revela o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira.

Como o próprio slogan do local diz: “Aqui você encontra de tudo”. O Mercadão está localizado no quadrilátero entre as Ruas São Sebastião, José Bonifácio, Américo Brasiliense e a avenida Jerônimo Gonçalves, ou como muitas gosta de ressaltar: “em frente ao terminal rodoviário de Ribeirão Preto”.

O local começou a ser construído em 1899 e foi inaugurado no ano seguinte, tratava-se de uma construção grandiosa para época, inclusive com cobertura totalmente de vidros e as paredes feitas de tijolo de barro. E o mais importante começou a ser reconhecido, porque abastecia famílias de todas as classes sociais de Ribeirão Preto e região.

Bolo com 90 quilos foi confeccionado para celebrar os 117 anos de fundação do Mercadão
Bolo com 90 quilos foi confeccionado para celebrar os 117 anos de fundação do Mercadão

Durante oito anos o grupo Folena & Cia, era concessionário do imóvel, assim podendo explorar o local, entretanto a Prefeitura decidiu por indenizar o grupo em “120 contos de réis”, e assim tomou posse do imóvel.

No dia 07 de Outubro de 1942 ocorreu um curto-circuito que ocasionou um incêndio de grandes proporções, assim fazendo com que o prédio tivesse que ser interditado. Os comerciantes que ali atuavam, tiveram que pegar suas barracas e se instalarem na avenida Francisco Junqueira, entretanto com o córrego na frente, a falta de higiene e o mau cheiro se tornaram insuportáveis para a realização do comércio, e por isso tiveram que desativar tudo.

“Sempre nos contaram em casa que o Mercadão ficou por muito tempo fechado e isso prejudicou não só os comerciantes, mas também todos os cidadãos da cidade que sempre compraram seus suprimentos no local”, comenta a aposentada Ligia Carvalho.

Na década de 50, surgiu a proposta de se reerguer um novo Mercado Municipal, foi quando em 28 de setembro de 1958, o então prefeito Costábile Romano inaugurou o novo prédio. E novamente estava em pleno funcionamento um dos pontos econômicos do município e de toda a região.

Obra do artista Bassano Vaccarini feita na área externa do Mercadão
Obra do artista Bassano Vaccarini feita na área externa do Mercadão

Apesar de hoje termos um prédio envelhecido, e que não passa por reforma a um bom tempo, é ali que muitas pessoas se encontram diariamente para realizar suas compras nos 4.150 metros quadrados, com um corredor principal, cinco corredores secundários e parte externa, que recebe em torno de 2500 pessoas por dia.

Atualmente o Mercado Municipal é de responsabilidade da Coderp – Companhia de Desenvolvimento Econômico de Ribeirão Preto.

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: