Queimada urbana é crime!

Essa prática de queimar detritos sólidos, os transformando em substâncias gasosas e tóxicas, gera um aumento considerável no atendimento dos postos de saúde e hospitais.

A queimada feita na área urbana é uma prática comum dos moradores das cidades. Ela resume-se em atear fogo no lixo, restos de podas e roçagem, em terrenos e espaços vazios com muito mato. Mesmo sendo nociva ao meio ambiente, à saúde e proibida por lei (considerada crime), essa prática continua ano a ano, aumentado em algumas cidades da região e, no período de estiagem (maio a agosto), os focos de queimadas acabam aumentando demasiadamente.

Foto: Divulgação

Essa prática de queimar detritos sólidos, os transformando em substâncias gasosas e tóxicas, gera um aumento considerável no atendimento dos postos de saúde e hospitais, onde os principais afetados são crianças e idosos. Os problemas mais comuns são os respiratórios e irritação nos olhos. Porém, muitos outros problemas de saúde, inclusive o estresse, ocorrem por conta do excesso de fumaça no ar.

Além do mais, o meio ambiente é negativamente afetado pelas queimadas, onde a flora e a fauna acabam sendo prejudicados. Para sanar ou pelo menos amenizar as queimadas feitas em áreas urbanas, a Prefeitura Municipal de Cravinhos realiza várias ações preventivas, como educação ambiental nas escolas, publicações em jornais e redes sociais, além de aceiros, roçadas e limpeza das áreas mais suscetíveis às queimadas.

Foto: Divulgação

Durante queimadas de capinzal, matagal ou lixão/bota-fora, havendo risco do fogo atingir pessoas, animais, construções, instalações, rede elétrica, telefônica, cabos de comunicação ou outros bens, ligue para a Defesa Civil Municipal – Brigada de Incêndio (fone 3951-9900) e/ou Bombeiros (fone 193).

Vanderson Carniel

Biólogo, Pós-graduado em Gestão Ambiental pela UFSCar. Ex-secretário Municipal de Meio Ambiente e Política Agrícola. Atualmente, é vereador na Câmara Municipal de Cravinhos, Legislatura 21/24.

Deixe uma resposta