Jazz x Blues

É muito comum as pessoas em geral se referirem ao Jazz e Blues como se fossem a mesma coisa, quase sinônimos. Mas e aí? Jazz e Blues são iguais? Qual a diferença?

A resposta definitivamente é não, Jazz e Blues não são a mesma coisa. Existem muitas coisas em comum, mas são diferentes, as vezes, bem diferentes.

Alguns pontos relevantes em comum entre o Jazz e o Blues: Ambos são estilos musicais originados nos Estados Unidos pelos afro-americanos, tanto no Jazz como no Blues encontramos improvisações e longos solos, os dois, com o passar do tempo, foram sofrendo transformações e se misturando com elementos de outros gêneros musicais.

E as diferenças? Quais são elas?

O Blues é nativo do sul dos Estados Unidos (Alabama, Mississipi, Louisiana, Georgia). O Jazz tem origem um pouco mais ao norte (Nova Orleans, Chicago, Nova York).  Na linha cronológica dos gêneros, o surgimento do Blues (final do século XIX) é anterior ao Jazz (início do século XX). O Blues (que em inglês é sinônimo de melancolia) originalmente era uma música vocal, cantos de trabalho ou louvores religiosos cantados por descendentes de escravos africanos. Mais tarde o violão de aço e a gaita foram incorporados como seus principais instrumentos. E mais contemporaneamente a guitarra e é claro, outros instrumentos de base como o baixo e a bateria se tornaram instrumentos comumente encontrados em grupos de Blues.

Dolphin Dance (Herbie Hancock – Jazz)

Maiden Voyage Album (1965) Herbie Hancock: piano, Freddie Hubbard: trompete, George Coleman: saxophone tenor, Ron Carter: contra-baixo acústico, Tony Willians: bateria.

O Jazz (cuja origem da palavra é incerta) nasce da fusão de elementos do Blues, das bandas marciais, do ragtime, e também com influência da música erudita européia, com uma mistura de grupos étnicos e culturais. No Jazz, desde sua origem a variação de instrumentos musicais era grande com metais (como Trompete, Tuba etc), palhetas (Clarinete, Saxofone etc) e percussão (Pratos, Caixa, Bumbo etc) e o piano. Contemporaneamente essa variação de instrumentos usados no Jazz se ampliou ao ponto de encontrarmos qualquer instrumento musical em grupos de Jazz.

O Blues influenciou fortemente o Jazz, mas o Jazz não teve a mesma influência no Blues. Podemos dizer que o Jazz contém o Blues, mas o Blues não contem o Jazz. Ou que, o Blues está contido no Jazz, mas o Jazz não está contido no Blues.

Podemos dizer que o Blues se manteve muito mais fiel as suas origens em termos de sua estrutura musical do que o Jazz. A estrutura harmônica (combinação e sequência dos acodes), por exemplo, do Blues, sofreu pouquíssimas variações, já no Jazz, as variações harmônicas são quase infinitas. Ritmicamente também, o Jazz incorporou muitos diferentes elementos musicais, tendo inclusive muitas variações na forma de nomear os estilos, como, Big Bands, Bebop, Cool Jazz, Jazz Fusion, Jazz Rock, Latin Jazz, Free Jazz, Acid Jazz e por aí vai.

Country Girl (B B King – Blues)

Lucille Album (1967). B B King : guitarra e voz,  Irving Ashby: guitarra, David “Leather Sax” Allen Jr.: baixo, Jessie Sailes – bateria, Maxwell Davis : orgão, Bobby Forte , Bob McNeely, Cecil McNeely: saxofones, Melvin Moore : trompete, John Ewing: trombone.

Existe uma frase atribuída a Luis Armstrong que diz: “Jazz não é o que você toca mas, o como você toca”. Essa diferença entre o que e o como, é interessante para definir e para se pensar no Jazz como uma música livre, onde qualquer estilo musical pode se tornar Jazz dependendo de como se toca.

Esse tema Blues e Jazz com certeza não se esgota em tão poucas linhas, mas espero ter ajudado um pouco na compreensão das características e singularidades de cada estilo e também espero ter despertado o interesse e a vontade dos caros leitores em ouvir um bom Jazz e Blues.

Assim como para se sentir o sabor de um prato precisamos degustá-lo, pois mesmo que um excelente chef de cozinha nos dê uma precisa descrição dos ingredientes, texturas e aromas do prato, só sentiremos o sabor com a nossa própria experiência. Da mesma forma, para se perceber as diferenças entre o Jazz e o Blues e as variações de cada estilo, precisamos ouvir. Precisamos experimentar a música.

Boa degustação musical e até a próxima com outros assuntos musicais.

Kin (Pat Metheny – Jazz)

The Unit Sessions Album (2016). Pat Metheny: guitarra e guitarra sintetizada, Chris Poter: saxofone tenor, Ben Willians: contrabaixo acústico, Antonio Sanchez: bateria, Julio Carmassi: teclados e sintetizador

Keep On Lovin’ Me Baby (Boo Boo Davis – Blues)

One Chord Blues Album (2016). Boo Boo Davis: Voz e gaita. Obs: Sem referência da banda de apoio.

Luciano Duarte

Luciano Duarte é músico, graduado em Música Popular pela Unicamp. Morou e atuou na Europa por três anos. É professor de música e atualmente trabalha como guitarrista de orquestras em navios de cruzeiros tocando com músicos do mundo todo, tendo passado por quase 30 países até o momento.

3 comentários em “Jazz x Blues

  • 22 de junho de 2017 em 18:22
    Permalink

    Bem-vindo, Luciano! Parabéns! Muito bom!!!

    Resposta
  • 13 de junho de 2018 em 07:06
    Permalink

    Blues é muito mais que apenas um ritmo…é sentir é tocar é cantar é grunir….é viver….eu não vivo sem O Blues em todos meus momentos ele estará ali…@marcosbluesil meu insta….

    Resposta
  • 10 de janeiro de 2019 em 11:32
    Permalink

    “Da mesma forma, para se perceber as diferenças entre o Jazz e o Blues e as variações de cada estilo, precisamos ouvir. Precisamos experimentar a música.” Parabéns pela explicação.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: