Os diferentes tipos de depressão

Como falamos anteriormente a depressão caracteriza-se em episódios de tristeza, solidão e torna-se incapacitante para quem a sente, no entanto existem várias intensidades e tipos de depressões que nos acomete. Os sintomas da depressão são basicamente os mesmos, porém seus subtipo diferem-se em sua duração e sinais que as acompanham.

O episódio depressivo (artigo anterior), é caracterizado por um período de tempo em que apresentam-se alterações comportamentais como humor deprimido, falta de energia, de iniciativa, de vontade e de prazer, alteração de sono e de apetite e lenhificação motora e dos pensamentos. Ele tem uma duração mais curta e vai de sintomas mais leves a graves.

O transtorno depressivo maior, quadro depressivo mais grave, é desencadeado por mudanças químicas no funcionamento do cérebro por causa física e/ou emocional, acomete geralmente pessoas após os 30 anos de idade e possui relação com herança genética. É um quadro depressivo recorrente ou com duração maior de seis meses com intensificação de sintomas, comprometendo todas as atividades do indivíduo.

A depressão bipolar é caracterizada por mudanças constantes entre uma depressão profunda e uma alegria excessiva. Em episódios depressivos no transtorno bipolar o paciente apresenta todos sintomas da depressão típica, e em estado de mania (euforia), o paciente apresenta sintomas de agitação, ocupação com diversas atividades, obsessão com determinados assuntos, aumento de energia, impulsividade, desatenção e hiperatividade. As alterações nos quadros de manias podem ser mais leves ou elevadas, e a pessoa pode achar que está bem e saudável pela sensação que essa lhe traz.

O transtorno distimico é um transtorno depressivo leve, porém persistente. A pessoa consegue seguir sua vida normalmente, consegue trabalhar, realizar suas atividades diárias, mas possui uma qualidade de vida ruim e são consideradas pessoas pessimistas e/ou negativas a maior parte do tempo. Seus principais sintomas são mau humor, irritabilidade, isolamento social e pessimismo. Há a presença de vários sintomas típicos depressivas durantes dois anos ou mais, e quadro de difícil diagnóstico por considerar que a pessoa pode ser alguém mal humorado e sem amor.

Na depressão atípica há aumento do apetite com ganho de peso, o aumento excessivo de sono e humor apático tomam conta do estado emocional, problemas em manter relacionamentos duradouros, perda de interesse em atividades rotineiras. Os quadros depressivos costumam ser melancólicos e o paciente apresenta tristeza intensa, pensamentos de morte, desesperança e inutilidade.

A depressão afetiva sazonal relaciona-se a épocas do ano ou estações climáticas, e os sintomas mais comuns são aumento da fadiga em determinada época, aumento do apetite e/ou sonolência e período de tristeza e desanimo. Festa de fim de ano e inverno são os característicos da presença deste tipo depressivo.

Depressão pós-parto é um tipo especifico com causa definida. A queda brusca dos hormônios antes em equilíbrio no corpo, podem levar o corpo a se ressentir, reagindo ao quadro depressivo de tristeza, irritabilidade e até mesmo rejeição do bebê.

A depressão psicótica alia, além dos sintomas típicos depressivos, sintomas de psicoses como delírios e alucinações. A pessoa acredita que seu corpo está apodrecendo, ê vultos de morte vindo pega-lo, ouve pessoas mandando ele cometer suicídio, entre outros. É o tipo depressivo grave, porém raro.

Depressão reativa surge após acontecimento estressante em que não se teve uma reação. Uma morte, um trauma, um acidente, qualquer coisa em que a pessoa tenha passado e não teve condições de elaborar a situação.

Síndrome pré-menstrual, maioria das mulheres apresentam a famosa TPM. Apesar de não ser considerado uma depressão em si, apresentam-se sintomas característicos depressivos, porém com intensidade e duração menores.

Beautiful young woman in lingerie sitting on bed and suffering from abdominal pain

O tratamento da depressão vária de acordo com seu subtipo e intensidade, porém basicamente consiste em tratamento farmacológico com antidepressivos, ansiolíticos e/ou psicóticos além de psicoterapia em todos os casos além de hábitos de vida saudáveis, alimentação balanceada e pratica de atividades físicas.

Toda depressão necessita de tratamento e de cuidado. Nenhuma merece menor ou maior atenção, todas devem ser diagnosticadas e tratadas evitando maiores danos e até um possível suicídio.

Yasmin Paciulo Capato

Yasmin Paciulo Capato é Psicóloga (CRP: 06 / 136448) clínica e atende as especialidade de Psicoterapia, Orientação Vocacional e Psicodiagnóstico na Clínica Vitalli.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: