Papeis sociais na atualidade

Estamos passando por processo de mudanças que já dura algum tempo. O que antes era considerado comum ou típico pode ter mudado nos dias de hoje, o que era esperado em um futuro, pode ter sido adiantado ou até postergado ainda mais. O que antes era considerado correto, esperado e até “normal e comum” já não é valido para todos ou em todos lugares.

Você mulher, provavelmente já deve ter passado por situações em que saber fazer “coisas de homem” como trocar um pneu, saber de elétrica ou consertar uma peça foi algo totalmente espantoso, bem como você homem sabendo fazer “coisas de mulher” como limpar, cozinhar e ter o “sentimento maternal” também foi de igual assombro.

mulher mecanica

Com a transformação no campo de trabalho, o acesso aos estudos e a busca pela independência homens e mulheres equipararam seus papeis sociais profissionais e lutam para igualarem em suas categorias; com essas mudanças profissionais houve a necessidade dos alterações dos papeis socais dentro de casa também.

Ainda há padrões pouco mais antigos onde há quem dá o sustento é o homem, em que as mulheres tem seus papeis voltados ao cuidado e ao lar, porém poucos casais nos dias de hoje conseguem viver desta forma.

Hoje nossos papeis sociais mudaram, e ainda estão mudando. Saber fazer o que antes era tarefa masculina não significa que você não é feminina, que perdeu sua essência feminina. Saber executar tarefas relacionadas ao lar e ao cuidado não coloca sua masculinidade em jogo.

homem cuidando de criança

Mães saem cada vez mais cedo da licença maternidade para poder ajudar o marido no sustento da casa. Pais precisam estar mais presentes em casa pois não há uma dificuldade vivenciada pela mulher em ter um emprego fora, cuidar de todos afazeres da casa, ser mãe e ainda ser esposa.

Houve uma divisão de tarefas, tendo em vista que os dois trabalham, os outros fazem, os dois vivem, os dois precisam se ajudar, os dois são donos, a responsabilidade é dos dois.

cada um faz sua parte em casa

Como pode uma mulher não querer ser mãe?! Onde já se viu um homem não realizar trabalho braçal ou deixar que sua esposa trabalhe mais que ele?! Não casar?! Como assim?! Este é o novo momento. Somos nós em que escolhemos o que podemos fazer ou não, o que queremos e quando queremos.

Antes com idade X era pra mulher estar casada, o homem com X anos precisava ter um emprego e sustentar toda a casa, mostrando que mandava ali, e isso mudou. A facilidade no estudo nos tornou serem pensantes, os possibilitou vislumbrar futuros, ter perspectivas e trilhar nossos próprios caminhos sem precisar de um marido ou de uma esposa para que possamos ser quem queremos ser.

família feliz

Mudança assustam, mas também possibilitam abertura de caminhos e pensamentos. Será que é tão ruim uma mulher ter sua independência e escolher com quem e quando se relacionar?! Será que um homem não tem competência suficiente para ser pai, e tomar conta de um lar sozinho?!

O bom e o ruim está em cada um de nós, e não no outro. A competência ou falta dela, está no que consideramos e não na forma com que o outro faz. Sejamos compreensíveis e receptivos a mudanças, considerando o que ela pode trazer de melhor, a evolução pessoal de cada um.

 

Autor

Yasmin Paciulo Capato

Yasmin Paciulo Capato é Psicóloga (CRP: 06 / 136448) clínica e atende as especialidade de Psicoterapia, Orientação Vocacional e Psicodiagnóstico na Clínica Vitalli.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: