Procrastinação

Quem nunca deixou uma tarefa pra última hora não é mesmo?! Sabe aquela atividade que você teve mais de um mês pra fazer, mas só foi realizada nos “45 minutos do segundo tempo” e daquele jeito ainda?! Haja fôlego para conseguir terminar né?! Sabe aquela tarefa que a gente sempre deixa pro dia seguinte, e este dia nunca chega, ao menos que você realmente precise executá-la?! Você sabe que precisa comprar um presente, ou qualquer outra coisa, mas só o faz quando não tem mais jeito, ou nem ao menos faz…

Muitas vezes é mais legal checar e-mails, atualizar o “facebook”, ver as últimas notícias, jogar aquele jogo, colocar a série em dia, ou até mesmo ficar no sofá sem fazer nada, do que fazermos o que realmente precisamos, e na hora em que teríamos mais tempo para realizar a tarefa. Somos assim, por mais organizado que alguém possa ser, alguma vez algo já foi deixado pra depois.

Desta forma, o ato de procrastinar é o de adiar tarefas, transferir atividades para “o dia seguinte”, interromper um trabalho por coisas superficiais ou até mesmo deixar de fazer algo necessário dentro de um prazo determinado, ou seja, aquela famosa “enrolação”.

Às vezes deixar algo pra depois, pode ser bom, mas deixar sempre pra amanhã, deixar sempre pra depois, pensar que depois você fará é onde mora o perigo.

Toda procrastinação é um atraso, o ato de postergar tarefas, uma negligência que se faz diante da tarefa que tem que ser realizada, mas nem todo atraso é uma procrastinação. Se você deixa pra fazer determinada atividade pro dia seguinte, pois ainda terá tempo de realizá-la com calma e tem o dia disponível, você apenas re-planejou sua tarefa para um dia mais favorável.

Adiar tarefas traz um alívio momentâneo, mas quando percebermos que nosso prazo está acabando o desespero toma conta, e as coisas não saem como o planejado.

A procrastinação está relacionada a sentimento do stress, falta de concentração, falta de autoconfiança, falta de prazer na atividade a ser realizada, medo e insegurança. Quando uma pessoa torna-se procrastinador, não adianta mandá-la comprar um “planejador de tarefas”, adiar tarefas acontece da forma em que a pessoa nem ao menos se dá conta.

Sentimento negativos após a procrastinação podem tomar conta, como irritabilidade consigo, frustração, desesperança e descrença, mas mesmo com estes sentimentos, não se consegue mudar a forma executar suas atividades e nem organizar-se em relação a seu tempo.

A psicoterapia é aliada na luta conta o ato de procrastinar, na busca de uma regulação na realização das tarefas, respeitando os prazos, buscando prazer na realização das tarefas e auxiliando na organização do tempo e atividades.

Autor

Yasmin Paciulo Capato

Yasmin Paciulo Capato é Psicóloga (CRP: 06 / 136448) clínica e atende as especialidade de Psicoterapia, Orientação Vocacional e Psicodiagnóstico na Clínica Vitalli.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: