Psicoterapia Infantil

A psicoterapia infantil, ou ludoterapia, tem por objetivo melhorar a qualidade de vida da criança, bem como o da família que esta se encontra, visando o bem estar psíquico e emocional. O trabalho terapêutico é diferente do adulto, no qual a forma de comunicação se dá utilizando-se do brincar, desenhar, construir e fantasiar.

Diferentes dos adultos, as crianças utilizam-se de outros métodos de comunicação para demonstrar suas angústias, medos, conflitos e desafios. Geralmente problemas de comportamento, aprendizado, interações sociais, ou até adoecimento frequente podem significar que há algo errado, e que é necessário um olhar especial e uma ajuda capacitada.

Através das alternativas lúdicas é possível conhecer a criança e dar apoio emocional e, através das mesmas técnicas e verbalizações, superar as dificuldades e buscar outras formas de superação diante as problemáticas, bem como fortalecer o emocional do paciente infantil.

É na terapia que a criança demonstra, na forma em que conseguir se expressar, seu mundo externo e interno, é ouvida e encontra formas de demonstrar seus sentimentos, sejam quais forem, conseguindo, aos poucos, compreensão e mudança diante seu nível de desenvolvimento.

O objetivo da ludoterapia pode ser específico ou geral, dependendo da queixa dos pais ou responsáveis, e das necessidades que a criança apresentar ao terapeuta durante os atendimentos. É um processo trabalhoso e deve ser realizado com paciência, respeitando os limites das crianças e sua capacidade de compreensão.

Uma relação solida e segura deve ser criada com o paciente, para que este confie no terapeuta e seja realizado um trabalho efetivo. Juntos, psicoterapeuta e a criança, descobrem as dificuldades e resinificam e reconstroem juntos outras maneiras de soluções e/ou posicionamentos no mundo. Com isto, a criança muda, não só psiquicamente, mas também suas interações e comportamentos, causando transformações em todos os ambientes que a cercam, biopsicossociocultural, auxiliando-a a construir seu próprio caminho.

A participação dos pais e/ou responsáveis no processo psicoterápico é fundamental. É necessário compromisso, disponibilidade interna para mudanças, interação e participação ativa na vida dos pequenos. São realizadas sessões paralelas com os pais para orientações ou dúvidas, quando necessário. É importante que respeitem o horário de atendimento dos filhos, e que entendam que aquele momento é da criança, sendo tudo que for necessário ser discutido e tratado, seja realizado em um horário diferente, sem a presença do paciente.

A criança obtém ganhos significativos quando a terapia é realizada de forma adequada, auxiliando-a no crescimento emocional e psíquico, resolução de problemas e posicionamentos diante questões do mundo. Possuindo apoio dentro de casa, o trabalho torna-se mais efetivo, e os ganhos serão maiores. Não é porque a criança é pequena que ela não sofre ou necessita de apoio, pelo contrário, é aí que é necessário maior atenção, e a procura de ajuda pelos responsáveis só demonstram a força e coragem deste buscando uma melhor forma de vida para os filhos.

Yasmin Paciulo Capato

Yasmin Paciulo Capato é Psicóloga (CRP: 06 / 136448) clínica e atende as especialidade de Psicoterapia, Orientação Vocacional e Psicodiagnóstico na Clínica Vitalli.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: