Para um jovem demolidor!

O trânsito estava intenso àquela hora na avenida,

e eu esperava os carros passarem, pra atravessá-la em seguida.

Foi justo naquela hora que, num prédio em demolição,

eu o vi, magro e empoeirado, com uma marreta de ferro na mão.

Equilibrando-se sobre uma laje, sem segurança qualquer,

eu o via a martelar e, pouco a pouco, a parede derrubar.

Olhando pra ele com temor de que pudesse dali cair,

dentro de mim eu orava e, a Deus, em seu favor suplicava.

E quando o trânsito diminuiu e a avenida atravessei,

sem que ele percebesse, mais uma vez o olhei.

Ele jamais saberá que estive a observá-lo,

e enquanto trabalhava com a mente o fotografava.

Também jamais saberá, aquele jovem demolidor,

que por ele a Deus supliquei, com todo o meu  fervor.

Irene Coimbra

É professora, escritora, poeta, produtora e apresentadora do Programa “Ponto & Vírgula” na TV MAIS RIBEIRÃO. Fundadora da Revista Ponto & Vírgula em Ribeirão Preto.  Editora e Promotora de Eventos Literários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *