Era maio de 2022, tarde de uma quinta-feira.

E hoje temos a vigésima segunda história da Coluna “Preces de Esperança”. Vale a pena conferir!

Padre Josirlei foi ao Hospital São Francisco, em Ribeirão Preto (SP), levar a sagrada unção a uma senhora acamada, atendendo ao pedido de seu neto. A filha a acompanhava.

Ao perceber a presença do padre Jô, ela parecia mais calma e, mesmo com voz fraca, visão meio turva e movimentos lentos, esboçou um sorriso entre as lágrimas de alegria:

– Que bom que o senhor está aqui!

– Eu vim te trazer a bênção de Deus! – exclamou o padre.

Foto: Arquivo Pessoal

Ao ouvir o Pai-nosso e as Ave-marias, não hesitou em interiorizar seus sentimentos de fé. Prontamente pôs suas pequenas mãos, frágeis e marcadas pelo tempo, unidas em posição de oração, confiante e submissa na presença de Deus. Concentrada, rezou junto do padre, revelando-se poesia viva e experimentando, humildemente, a partir do encontro com o sacerdote, o real encontro com o próprio Jesus Cristo. Certamente era o momento em que acessava na memória as missas de que participou, os cânticos que entoou, as orações que rezou e a conexão com o Sagrado que provou por meio de cada eucaristia, ao longo de seus mais de oitenta anos.

À filha, restaram a emoção diante da mãe orante e o coração regozijado e confortado pela Palavra de Deus.

Capelão Pe. Josirlei e Lucimara Souza

Recortes da realidade que suscitam esperança, fé e amor. Experiências vividas pelo Capelão Pe. Josirlei, traduzidas por Lucimara Souza.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: