Elas querem seduzir

O que é que está acontecendo com as meninas de 11, 12 anos que estão expondo seus corpos nas redes sociais? Alguém precisa, urgentemente, alertar os pais sobre os riscos que suas filhas estão correndo.

Não, nada de comentário machista por aqui. Mulher tem que ser respeitada de qualquer forma. Mas, até que isso entre na cabeça de alguns vermes chamados de seres humanos, evitemos problemas, especialmente quando se trata de crianças.

Fico um tanto quanto assustada quando vejo essas meninas, que mal sabem interpretar um texto de um parágrafo, colocando nas redes sociais as tais frases impactantes seguidas por fotos mostrando os peitos, sustentados por um sutiã de bojo enorme, as famosas caras e bocas sensuais e as fotos de costas mostrando os quadris cobertos por shorts tamanho 14, exibindo a popa da bunda. Se a intenção é se mostrarem sexy (com essa idade eu não fazia ideia do que era isso), alguém precisa avisar os responsáveis de que elas aprenderam a ser vulgares antes de conseguirem resolver continhas de divisão com dois números na chave.

Será que essas criaturas não têm pais? A família não vê?

Nasci em época errada, não é possível. Dizem todos os dias que a geração está mudada, entretanto, não dá pra aceitar que o papel de pai e mãe tenha sofrido tanto com esse update. Com toda essa parafernália tecnológica, a geração tinha que ter mudado pra melhor, gente.

O smartphone deveria ser usado pela molecada para auxiliar nos trabalhos escolares, não pra tirar nudes ou quase-nudes e espalhá-los na rede.

A disputa por likes é tão obstinada, que ganha mais quem mostra mais o corpinho. Os menininhos ficam saltitantes, mas o contato é só ali, na rede social. Esse tipo de criança tem o desenvolvimento de suas habilidades sociais afetado. Mal se olham nos olhos, mas enchem os perfis de comentários elogiosos cheios de malícia adulta.

Alguém, não sei se a própria sociedade, impôs na mente dessas menininhas que elas seriam capazes de seduzir o universo com um decote profundo ou com a barriga ou as pernas à mostra. Ao contrário do que tencionam, esse clamor por reconhecimento e a necessidade de autoafirmação têm causado espanto para a maioria.

É muito cedo para suas filhas serem apelidadas de mulherões, pais, quanto mais mulherões vulgares. Por mais que movimentos feministas estejam na mídia, por mais que vistamos a camisa do feminismo, a sociedade ainda é muito hipócrita e machista. Até que suas filhas não saibam se defenderem, tentem protegê-las. Cuidem de seus corpos para que tenham saúde, não para que sejam expostos. Cuidem de suas roupas para que elas cresçam sabendo o que é ser chique, não vulgares. Cuidem de seu caráter, para que mais tarde a arma de sedução delas seja outra.

Por último, e o mais relevante, ensinem-as a ler e a interpretar textos, bem como resolver as continhas de divisão com dois números na chave.

Lucimara Souza

Formada em Letras, Pedagogia e especialista em Comunicação: linguagens midiáticas, atualmente professora. Aprecia a escrita permeada pela criatividade, humor e certa dose de sarcasmo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: