O coitadismo da Ministra dos Direitos Humanos

Bem no início do mês do Dia da Consciência Negra, a senhora roubou a cena, hein, ministra Luislinda?

Pena que só consegue ser “linda” só no nome mesmo.

Como é que um ser humano se veste, se alimenta, calça e vai ao salão de beleza com pouco mais de 30 mil reais?

Foi este o questionamento da senhora, enquanto reivindicava 61 mil reais do governo, não é? Pretendia acumular a aposentadoria de desembargadora e o salário de ministra, não se importando que este valor ultrapassaria o teto do funcionalismo. Impressionada e triste com sua esperteza.

Afirmo que qualquer brasileiro faz tudo isso com pouco mais de 1 salário mínimo em uma família de 5 pessoas.

Vossa Senhoria teve coragem de ressaltar que trabalhar em Brasília sem uma remuneração à altura seria como trabalho escravo. Coitadinha! Sério que a senhora – negra – sabe o que é trabalho escravo?

Hipócrita! Não sabe ou fez questão de apagar todo o seu passado pelo fato de ter tido boas oportunidades ao longo da vida. Pena que em seu caso, o estudo não gerou uma evolução humana.

O Código Penal diz que trabalho escravo é aquele forçado, com jornada exaustiva, humilhante, degradante. É assim que a senhora trabalha?

Com certeza, não. A senhora nunca vai saber, com o salário que ganha, o que é andar uma cidade inteira para comprar os itens mais baratos em diferentes supermercados, ir a lojas de departamento comprar roupas e calçados de verão no inverno e de inverno no verão só pra aproveitar as promoções ou, ainda, amarrar uma sacolinha de supermercado na cabeça pra fazer hidratação capilar enquanto limpa a casa.

Já perdi as contas de quantas vezes falei o quanto tenho preguiça desta humanidade sem humanidade. É por causa de gente como a senhora que tenho este sentimento. É uma revolta incontrolável.

Como é que esta mulher pode ser Ministra dos Direitos Humanos? Quanta incoerência! Cadê a sua humanidade, mulher? Ser humano é ser bom, é ser generoso, é doar-se a quem nada pode oferecer em troca.

Não seria mais notável se destacar pelo seu trabalho em defesa das minorias, pelos direitos trabalhistas, pela democracia neste país tão descrente?

Acho que a senhora perdeu a noção e, se até ontem representava alguém neste país, deixou de representar. Viver só pra si só te levou a vivar memes na internet.

Se já sofreu preconceito racial, como afirmam em sua biografia, cadê seu compromisso para trabalhar em combate ao racismo e lutar pelos direitos dos negros deste país?

“Pobre” ministra Luislinda, Zumbi de Palmares deve ter se retorcido de ódio da senhora, e eu estou morrendo de vergonha alheia por suas declarações. Tentou consertar, mas ficou feio.

Só pra concluir, asseguro com convicção que nem os 33 mil que ganha, nem os 61 mil que pretendia ganhar acabarão com sua pobreza de espírito. Afinal, demonstrou que não tem respeito algum pelo seus antepassados e pelas questões humanas.

Lucimara Souza

Formada em Letras, Pedagogia e especialista em Comunicação: linguagens midiáticas, atualmente professora. Aprecia a escrita permeada pela criatividade, humor e certa dose de sarcasmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *