Tarefa de mulher x tarefa de homem?

Há um tempo estou em pesquisa. Não tem um fim acadêmico, entretanto. Enciclopédias, sites, redes sociais, entrevistas, bíblia… Até o momento, nada esclarecedor.

Talvez alguém por aqui consiga me ajudar.

Meus amigos, onde é que está registrado que mulher tem que fazer tudo dentro de uma casa: lavar, passar, cozinhar, arrumar camas, cuidar de filhos, de cachorros, pintar parede, trocar lâmpada, lavar carro, resolver conflitos? Onde é que está escrito que ela, além de trabalhar fora, é obrigada é dar conta de todos os afazeres domésticos e ainda fingir que está feliz? Mulher é de ferro, por acaso?

Se, sob o mesmo teto, moram cinco pessoas, por exemplo, a obrigação de cuidar desse ambiente não seria das cinco pessoas? Colaboração é importante porque todos usufruem da casa, da roupa, da comida, do carro… Concordam?

Cobra-se moralmente que famílias sejam perfeitas. Mas, convenhamos… Hoje, essa responsabilidade exclusiva da mulher de ter que cuidar de tudo desestrutura qualquer relação. Desestrutura porque uma cultura machista impôs que tudo fosse responsabilidade de uma pessoa só, e os homens, por comodismo ou falta de vergonha na cara, acatam essa regrinha e têm suas tarefas limitadas a deitar no deitar no sofá de cueca, ir ao banheiro pra deixar um rastro de xixi no vaso e no chão e, claro, reclamar.

A falha, na verdade, não está no simples fato de o homem ou os filhos não auxiliarem a mulher. A falha está na falta de consciência de que a mulher precisa de companheirismo, parceria. Ela também precisa de tempo para descansar, assistir TV, ler um livro.

Imaginemos uma empresa com dois sócios. Se apenas um fizer todo trabalho, participar das reuniões, e o outro não se interessar pelos negócios da companhia, uma hora ou outra ela vai falir. A parceria ficará precária, gerará estresse, adoecerá. Na família é exatamente assim.

Cuidar de tarefas domésticas é, definitivamente, escravizante. Um serviço infinito. Não é nada fácil pra mulher cuidar de “hóspedes”. Mas vai chegar a hora em que ela atingirá o limite do estresse. Aí pode ser tarde. Aí, sim, ela será notada na casa. Aí, sim, a sociedade vai entender que existem tarefas, não tarefa de mulher e tarefa de homem.

Lucimara Souza

Formada em Letras, Pedagogia e especialista em Comunicação: linguagens midiáticas, atualmente professora. Aprecia a escrita permeada pela criatividade, humor e certa dose de sarcasmo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: