Cuidados que a mãe, com implantes de silicone, precisa tomar durante o período da amamentação

O leite materno é o melhor alimento de que o recém-nascido vai precisar em seus primeiros meses de vida.

Amamentar é um ato instintivo, biológico e fundamental para o recém-nascido e para sua mãe. Pois, o leite materno é o melhor alimento de que ele vai precisar em seus primeiros meses de vida. Entretanto, é uma ação que precisa de atenção em alguns pontos, especialmente, no que diz respeito aos cuidados durante o período da amamentação das mães que têm implantes nos seios.

Foto: Divulgação

É possível amamentar com implantes mamários?

Sim. Embora haja algumas poucas exceções, a maioria das mulheres com implantes pode dar de mamar sem nenhum tipo de problema. A capacidade está relacionada ao estado das mamas antes de a cirurgia ter sido realizada e, possivelmente, do tipo de incisão que foi feita.

Contudo, existem situações que os implantes podem interferir na quantidade de leite produzido. Por outro lado, também há os casos em que não existe nenhum tipo de interferência nesse sentido.

Caso você tenha implantes pode haver certa preocupação com as consequências da amamentação nos seios. Mas nesse caso, o processo normal da mulher é que seus seios mudem de tamanho durante a gravidez e após a amamentação, porém, os implantes não são afetados.

Quais são os cuidados mais importantes no período de amamentação?

Com implante ou sem implante, há cuidados que precisam ser tomados pela mãe a favor da saúde dela e do próprio bebê. Dentre eles:

– Caso faça uso de protetores de seios, eles devem ser trocados se ficarem úmidos. Isso ajuda reduzir riscos de infecções.

– Se os mamilos estiverem machucados, o leite fresco pode ajudar a diminuir o desconforto e a sarar. Fazer massagens leves com algumas gotas antes e depois de amamentar também melhora.

– Se fizer uso de medicamentos, sempre converse com seu médico.

– A mamãe também precisa se preocupar com sua alimentação. É importante lembrar que nesse período a atividade metabólica aumenta em decorrência da produção de leite. Por isso, é necessário ingerir mais nutrientes e calorias.

Foto: Divulgação

Quais são os aspectos mais importantes?

Local das incisões para colocação dos implantes: caso tenham atravessado os mamilos ou aréolas, existe a possibilidade de que os dutos e nervos tenham sido cortados. Se esse for o caso, a amamentação pode não funcionar. Porém, quando as incisões são feitas próximas das axilas ou embaixo dos seios, os principais nervos são salvos.

Onde estão os implantes: quando os implantes estão localizados abaixo da musculatura do peito, é melhor para a amamentação. Implantes na parte superior do músculo do peito ou logo abaixo do tecido glandular podem interferir no processo de produção de leite.

Mamilos: um bom sinal de que os nervos estão funcionando bem, mesmo que a cirurgia ainda seja recente (nos últimos dois anos), é sentir os mamilos. Mesmo que não haja a sensação de mamilo cheio, a amamentação pode ser feita.

Mulheres submetidas à reconstrução mamária com implantes após mastectomia precisam estar cientes de que não podem amamentar e possuem grande chance de alterações de sensibilidade em seu mamilo.

Por fim, seja qual for a razão que tenha levado ao implante ou ao desejo de ter um, é muito importante que você tenha uma conversa franca com seu mastologista sobre os cuidados durante o período da amamentação. Isso ajudará a definir o melhor tipo de procedimento, assim como quais aspectos devem ser observados.

Gustavo Zucca

Mastologista, pós-doutorado pela Unesp, especialista em oncoplastia e cirurgia reconstrutora da mama pelo Instituto Europeu de Oncologia – Milão.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: