Cravinhos não tem mortes por febre amarela desde 2008

No município de Cravinhos a última morte em humanos que aconteceu devido a doença foi no ano de 2008, sendo que em 2016 aconteceu uma suspeita da doença, mas após exames realizados, o caso foi descartado pelo laboratório de Ribeirão Preto.

Em 2017 já foram confirmados, em todo o Brasil, 88 casos de febre amarela, o maior surto da doença desde 1980. No total são 423 casos em investigação, e 61 mortes. Todos os casos são de febre amarela silvestre, a qual é transmitida por um ciclo que envolve macacos e mosquitos presentes em áreas rurais. Não existe registro, segundo o Ministério da Saúde, da versão urbana da doença no Brasil desde 1942.No município de Cravinhos a última morte em humanos que aconteceu devido a doença foi no ano de 2008, sendo que em 2016 aconteceu uma suspeita da doença, mas após exames realizados, o caso foi descartado pelo laboratório de Ribeirão Preto.

“O último óbito em humanos que ocorreu no município de Cravinhos foi em abril de 2008, este caso foi notificado e confirmado por Ribeirão Preto, classificado como febre amarela silvestre. No ano de 2016 houve outro caso suspeito notificado pelo nosso município e descartado por Ribeirão Preto”, comenta a enfermeira da Vigilância Epidemiológica de Cravinhos, Gisleine Bosquim.

O que tem chamado a atenção de pesquisadores e infectologistas é a velocidade com que o surto está se propagando. Uma das explicações pode ser o local dos primeiros casos: “municípios mineiros, onde a cobertura da vacina é baixa, e Espírito Santo, que não tinha indicação até agora para vacinação”.

“Onde tiver casos de mortes de macacos por febre amarela e casos da doença em humanos, a vacinação vai passar a ser rotina, de forma permanente. A quantidade de cidades que serão incluídas neste mapa será definida depois de terminado o surto. Vamos ver até onde vai evoluir essa circulação viral”, explica à imprensa o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Eduardo Hage.

Se em Cravinhos não existem casos de febre amarela, nas cidades da região, como por exemplo, Ribeirão Preto, Batatais, Américo Brasiliense e Franca o surto tem preocupado a todos, inclusive com três mortes confirmadas até na quinta-feira (26/01).

“Estamos atualizando cartões de vacinas diariamente nas quatro salas de vacinas do município de Cravinhos, sempre de 2ª a 6ª feira das 7h30 às 16h30”, diz a secretária da Saúde de Cravinhos, Roberta Ap. Meneghetti Brandão.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Cravinhos

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *