Fiordes da Noruega – Stavanger

Hoje nossa viagem é através das paisagens dos fiordes e da pequena cidade de Stavanger, localizada ao sudoeste da Noruega. Essa pequena cidade é atualmente a capital da indústria petrolífera e ponto de partida para conhecer um dos mais espetaculares fiordes do país conhecido como Lysefjorden.

Os fiordes talhados há 10.000 anos pela ação dos glaciares na Era do Gelo são impressionantes. Um local de destaque é a rocha de Preikestolen, conhecida também como Pulpit Rock. É um paredão de 600 metros de altura indescritível. É tão magnífico que a imagem não coube nas lentes da câmera.

Stavanger combina a modernidade e tradição Norueguesa, que pode ser vista em cada cantinho da cidade. Casinhas de madeira tiradas de um conto de fadas, ruazinhas estreitas e cobertas de pedras, um lugar cheio de encanto e vida. De outro lado, casas modernas com uso de energia solar.

Durante os anos de 1810 a 1870 a principal atividade econômica da cidade foi a da pesca de arenques, o que proporcionou a criação de uma próspera indústria de peixes in natura em conservas. Logo houve a escassez do arenque e os Noruegueses encontraram na costa cardumes de Sardinha, a indústria dos enlatados voltou a florescer novamente e mais fábricas surgiram para suprir a demanda de sardinhas defumadas para o mundo todo.

Em 1982 as indústrias de sardinhas defumadas foram transferidas para a Polônia, país onde a mão-de-obra era mais barata. Muitos dos armazéns daquela época foram convertidos em bares e restaurantes. O local onde chegavam os barcos de pesca atualmente é o lugar onde atracam grandes navios de cruzeiros.

Em meados da década de 1970 a indústria petrolífera se tornou setor de maior atividade da região, após um período de muitos séculos vivendo a base da exportação da madeira que saia do porto com destino a Holanda.

O bairro Gamle ainda guarda um pouco do tempo quando o “peixe era ouro”. Construído por pescadores que queriam estar mais próximos ao mar, entre os séculos XVII e XIX, possui 173 casas de madeira branca. É reconhecido como um dos melhores conjuntos de casas de madeiras mais conservadas do Norte da Europa, também foi declarado Patrimônio da Humanidade.

Ao perder-me por essas ruelas não imaginava que estava caminhando entre uma das zonas habitadas mais caras do mundo. Para se ter ideia, uma casa entre 25 a 80 metros quadrados pode custar 1 milhão de Euros. Não é a toa que as casinhas são perfeitamente cuidadas pelos seus donos como uma valiosa joia.

São casas muito pequenas, com muito encanto, decoradas com flores e muitos detalhes que fazem a caminhada tornar-se mágica.

Stavanger é a quarta maior cidade da Noruega com uma população de 132.102 habitantes, e a que tem a menor taxa de desemprego de toda a Europa considerada apenas 1% e uma alta porcentagem de pessoas com ensino superior completo.

O nome da cidade em Nórdico antigo era Stafangr – (stafr) quer dizer montanhas altas e inclinadas e (angr) significa bahia estreita e então se uniram para formar Stavanger. A história oficial da cidade começa no século XII, mas já foi datado que houve a existência de assentamentos humanos desde 10.000 A.C.

O nascimento da cidade de Stavanger pode estar relacionado a uma história de amor. Afinal esse sentimento já fez com que muitas pessoas perdessem a cabeça, criassem ou destruíssem impérios, provocando momentos de guerra ou paz e determinando o destino de diversos países ao longo dos séculos.

Sigurd I, junto aos seus outros irmãos, reinava a Noruega no ano de 1107 quando embarcou na Cruzada Norueguesa a Terra Santa com mais 5.000 homens em 60 barcos que passaram pela Inglaterra, França, Galícia, Portugal, Gibraltar e Sicília. Ele foi o primeiro rei Europeu que embarcou numa Cruzada, combatendo os mulçumanos na península Ibérica, passou por Jerusalém e foi detido em Constantinopla. Voltou por terra a Noruega no ano de 1113 com apenas 100 homens cruzando meia Europa a pé.

E a história de amor? Sigurd I era casado com uma princesa Ucraniana, porém ele se apaixonou por Cecília. O bispo de Bergen negou o divórcio do rei e a princesa. O rei então decidiu construir uma nova Diocese em Stavanger, oferecendo o bispado a um amigo sacerdote inglês, Reynald de Winchester, que em troca aceitara seu divórcio e o casara com Cecília, em 1128. O rei faleceu 2 anos depois sem deixar claro quem seria seu herdeiro provocando uma guerra civil que durou 100 anos.

A catedral da cidade, Domkirken, é o edifício mais antigo da cidade e a data de construção coincide com a data de fundação da cidade. Em 1270 houve um incêndio na catedral e logo começou um processo de reconstrução no estilo gótico e hoje podemos encontrar uma mescla de estilos perfeitamente integrados.

Atualmente a cidade de Stavanger pouco tem a haver com aquele antigo cenário, e diria que é uma cidade que não deixa de surpreender. Em 2008 foi capital da Cultura da Europa e anualmente se celebra o maior festival de Street Art chamado Nuart, por sorte encontrei alguns graffitis pelas ruas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Graziella Marasea Cebollero

Viaja o mundo a trabalho e com isso reúne diversas histórias e fotos que irá compartilhar com a gente.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: