Bodega Garzón na World Wine Experience

Produtores da Argentina, Chile e Uruguai apresentam seus melhores vinhos

Hoje vamos dar o destaque para a Bodega Garzón, do Uruguai. Um produtor que fez os vinhos Tannat serem palatáveis, por um preço honesto e pagável. Antigamente essas uvas ou eram muito ruins ou muito caras. Agora chegamos num equilíbrio entre esses fatores.

Algumas uvas inusitadas são produzidas por eles, como a Pinot Grigio (R$72) e Albariño (R$99). Se fizer um teste cego com essas uvas e as originais italianas e portuguesas a concorrência será forte e será difícil falar qual é de onde e qual é melhor.

A clássica uva uruguaia, Tannat, de excelente qualidade, com 89 pontos no Descorchados, está saindo R$72. O Reserva sobe para R$99 (safra 2016 com 92 no Descorchados) e o Single Vineyard R$178, 90 pontos Descorchados. Ou seja, como sempre, não necessariamente o mais caro será o mais pontuado ou que vai agradar mais.

Muitas vezes o vinho que mais agrada não é o mais caro ou o mais pontuado, pois cada um tem o seu paladar. Existem alguns vinhos na faixa de 20 reais que me agradam bem. Não tenho preconceitos ou superstições quanto a isso.

Além de vinhos, eles produzem também azeites, Colinas de Garzón. A diferença é da localização e são bastante suaves e combinam com tudo, uma boa pedida para se ter em casa um azeite diferenciado para degustar e que seja o foco principal.

No dia 11 de abril a World Wine trouxe a Ribeirão Preto as vinícolas Altos Las Hormigas, Cono Sur, Tabalí e Bodega Garzón, com seus vinhos premiados listados no Guia Descorchados. Esse guia traz todos os anos os melhores vinhos da América Latina, incluindo Argentina, Chile, Uruguai e Brasil.

Autor

Emir Freiberger

Formado em comunicação social com habilitação em jornalismo. Pós graduado em artes visuais, trabalha entre o mundo das artes e programação de sites e programas web.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: