Mendoza: Susana Balbo – Dominio Del Plata

Com a reserva feita, entramos no carro alugado rumo à vinícola de Susana Balbo, a primeira enóloga da Argentina, chamada Dominio del Plata. O caminho foi bem tranquilo e chegamos na hora certa do almoço no restaurante Osadia.

restaurante osadia - susana balbo

Uma das melhores formas de degustar os vinhos é fazer o almoço nas vinícolas. Inicialmente parece caro, mas depois da experiência, podemos afirmar que vale cada centavo. Havia duas opções de menu optamos pela de 5 passos, pois assim tem mais vinhos para harmonizar.

O primeiro passo foi um bolinho, cortesia do chef para abrir o apetite, como se isso fosse necessário.

Começando pelo o que estava no cardápio de fato, uma salada de alcachofra com tomate e brócolis acompanhado do Crios Chardonnay 2016.

O segundo passo foi um creme de abóbora com manjericão e uma espuma de leite de ovelha, um prato muito equilibrado para degustar com o Susana Balbo White Blend 2015. Quase pedi mais um chorinho desse creme, estava realmente divino.

No terceiro passo arroz carnaroli orgânico, ossubuco e abobrinha com Susana Balbo Cabernet Sauvignon 2014. Extremamente saboroso, arroz no ponto certo e ingredientes frescos. Depois desse eu já poderia ir embora, mas ainda tinha um longo caminho a percorrer.

O quarto passo era o prato principal. Se eu estivesse num dia normal já teria parado de comer e beber, mas quando em Mendoza, de férias, esses limites passam a não fazer parte do dia a dia. Nesse caso haviam 3 opções: carne vermelha com um creme de milho, batatas fritas e beringela marinada ou ravioli de cabotia, espinafre, queijo e molho de tomate com o vinho Benmarco Expressivo 2014 e para o Susana Balbo Torrontés 2015 uma truta com molho de tubérculos e açafrão, sal de cítricos e inhame.

Para fechar, o quinto passo é a sobremesa. Achando que uma glicose iria ajudar, chegou o chocolate com tangerina, toffee e pralinê, mas veio acompanhado de Susana Balbo Late Harvest Malbec 2013, o que anulou um pouco o efeito do açúcar para tentar recuperar a sobriedade.

Tudo muito bem executado e servido. Vinhos maravilhosos que harmonizaram perfeitamente com os pratos, que tinham uma bela apresentação. Tanto que depois tivemos que esperar um pouco até retomar os sentidos, tomar um café como é tradição e poder voltar para o hotel e programar o jantar…

Autor

Emir Freiberger

Formado em comunicação social com habilitação em jornalismo. Pós graduado em artes visuais, trabalha entre o mundo das artes e programação de sites e programas web.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: