Visita a vinícola Guaspari

Fizemos o tour e pudemos conhecer melhor o plantio, a produção e os sabores

O agendamento é feito de forma simples pelo site. Basta escolher uma data e horário que estejam disponíveis, selecionar o número de pessoas maiores de 18 anos (R$125 a inteira) e entre 12 e 17 (R$62,50 a meia entrada), caso necessário. O pagamento é feito com o cartão de crédito e a confirmação vem por e-mail.

Sempre que tivemos dúvidas e pedidos, fizemos por e-mail e fomos prontamente atendidos, de forma bem profissional. Eles estão bem estruturados para receber os visitantes, contando até mesmo com assessoria de imprensa.

A Visita

Como fizemos o agendamento um pouco em cima da hora, não conseguimos escolher o dia e hora que queríamos, mas conseguimos marcar para o domingo às 9h30. Como estávamos hospedados na própria cidade de Espírito Santo do Pinhal, foi bem rápido para chegar na vinícola.

Já na portaria o veículo foi identificado e recebemos cada um, um crachá para podermos participar do tour. Na recepção foi servido café, água e umas bolachinhas deliciosas. Enquanto aguardávamos o horário e o restante das pessoas chegar, fomos registrar a beleza do lugar.

Quando já estava tudo certo, fomos convidados a subir no caminhão que nos levaria até o local de plantio das uvas. A escada para subir pode ser um pouco complicada para algumas pessoas, mas com calma tudo dá certo. No trajeto o guia ia contando um pouco a história do lugar e respondendo as perguntas que iam surgindo. Eu só contava as horas para a degustação.

Ao chegar no local, descemos do caminhão e conhecemos como é feito o plantio e colheita das uvas. Depois de um pouco de aula, foi servido um rosé com gelo na taça. Uma delícia refrescante para aguentar o trajeto de volta.

Depois disso, era hora de conhecer a produção. Vimos então onde é processada a uva, os tonéis de inox e os ovos de concreto, linha de engarrafamento, rótulo, rolha e finalização. A maioria dos equipamentos e matéria prima utilizados são importados, o que eleva o custo e valor final do produto.

Degustação

Teoria é bom, mas a prática se faz necessária no caso de vinho. Era hora da degustação. Cada um recebe um formulário de degustação, um bloquinho de notas e um lápis para poder fazer as anotações sobre cada vinho apresentado.

Os vinhos degustados podem variar conforme o dia da visita, no nosso caso começamos com o branco Vale da Pedra 2016 Sauvignon Blanc. Um vinho leve, de boa acidez, toque floral e refrescante. Ainda nos brancos, passamos para o Vista do Lago Chardonnay 2015. Um vinho mais complexo, que passa 9 meses em barricas novas de carvalho francês.

Agora nos tintos, iniciamos com o Vale da Pedra 2017, feito com uvas Syrah, o vinho de coloração rubi tem aromas de frutas vermelhas e toques de chocolate amargo e taninos redondos. Continuando e evoluindo nos tintos, temos o Vista da Mata 2015, com as uvas Cabernet Sauvignon (70%) e Cabernet Franc (30%). Ele fica cerca de 19 meses em barrica de carvalho e, após esse período, mais 12 meses na garrafa. Aromas de café, cacau, pimenta, bem equilibrado e encorpado, vai bem com carnes vermelhas, queijos fortes e massas condimentadas.

A visita vale muito a pena, é um excelente programa para o final de semana ou feriado, principalmente para quem curte vinho, claro. Depois do tour, é possível adquirir alguns produtos com desconto, inclusive o azeite deles que é diferenciado e não está à venda ainda no mercado. Outra dica é ir almoçar no Opção Trattoria e se deliciar com as massas preparadas na casa, como o Fiori artesanal de salmão defumado em madeira de café com brie e manteiga de sálvia. Só de lembrar já deu água na boca!

Autor

Emir Freiberger

Formado em comunicação social com habilitação em jornalismo. Pós graduado em artes visuais, trabalha entre o mundo das artes e programação de sites e programas web.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: