Bons hábitos de vida e tratamentos estéticos minimizam incômodos da menopausa

Reposição hormonal tem prós e contras. Novidade no mercado são os tratamentos para estética íntima.

Ao longo da vida a mulher passa por inúmeras e intensas transformações. E os hormônios têm um papel fundamental nestas mudanças. Eles causam verdadeiras revoluções no corpo feminino em várias épocas da vida, desde a adolescência, passando pela gravidez, até chegar ao climatério, que marca o fim do período reprodutivo da mulher, quando ocorre a menopausa, que é a última menstruação.

A médica Tatiana Prandini, que atua como ginecologista e obstetra, explica que o climatério marca a diminuição da função hormonal ovariana até chegar à interrupção da produção de hormônios.

“Neste período é comum a mulher apresentar vários sintomas, tanto físicos quanto emocionais, que causam grande impacto em sua qualidade de vida. A literatura médica já listou mais de 100 sintomas que podem ocorrer nesta fase”.

Entre as situações mais comuns estão a perda urinária, ressecamento e coceira vaginal, ondas de calor, depressão, irritabilidade e diminuição do desejo sexual.

Foto: Divulgação

“O tratamento mais adequado é individualizado, pois vai depender de uma avaliação clínica que leva em consideração a intensidade dos sintomas de cada mulher. De forma geral, para minimizar os problemas é recomendado que a mulher adote hábitos de vida saudáveis, que incluem evitar a ingestão de álcool, não fumar, se manter no peso adequado e praticar atividade física”, explica Tatiana.

Um dos tratamentos mais comuns para tratar os incômodos da menopausa é a terapia hormonal, porém, embora ela atenue os sintomas físicos e psíquicos, traz outros riscos. A Dra. Tatiana explica que os hormônios aumentam os riscos da incidência de alguns tipos de câncer ginecológico, como o de mama e do endométrio.

“Além disso, as mulheres que fazem uso de testosterona, para aumentar o apetite sexual, alteram o perfil do colesterol e podem ter problemas cardiovasculares”, alerta.

A médica Tatiana Prandini, que atua como ginecologista e obstetra, explica que o climatério marca a diminuição da função hormonal ovariana
Foto: Divulgação

A novidade no mercado são os tratamentos a laser, para estética íntima. O tratamento corrige queixas de atrofia vaginal, remove manchas, melhora a produção de colágeno e o aspecto externo da vulva.

“O laser, que também trata incontinência urinária, ressecamento vaginal e corrimento de repetição, tem tido muita adesão entre as mulheres e apresenta bons resultados”, explica a médica.

Da Redação

A equipe Intertv Web traz para você as informações e notícias precisas que você precisa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: