Não diga nada…

Meu amor, não diga nada, por favor.

Deixe-me sonhar…

Feche os olhos bem devagarinho

enquanto lhe faço um carinho.

Não se zangue comigo,

por favor, meu amor.

Eu sou assim mesma,

agressiva e impulsiva,

me irrito facilmente

e não sei me controlar.

Mas, acredite no meu amor.

Ele não é possessivo

e também não é brutal.

É como o som de um violino,

doce, divino,

capaz de fazê-lo vibrar,

apenas com um leve tocar.

Autor

Irene Coimbra

É professora, escritora, poeta, produtora e apresentadora do Programa “Ponto & Vírgula” na TV MAIS RIBEIRÃO. Fundadora da Revista Ponto & Vírgula em Ribeirão Preto.  Editora e Promotora de Eventos Literários.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: