Confira o que acontece no agronegócio

O que acontece durante a semana no agronegócio você acompanha aqui na Intertv Web.

O colunista Gustavo Batista traz toda semana na coluna “Agro Minuto”, o que no mundo do agronegócio. Acompanhem!

EXPORTAÇÕES AGRO

As exportações do Complexo Sucroalcooleiro crescem 37,4% entre janeiro e abril de 2021 e aumentam superávit da balança comercial paulista. No período as exportações gerais do agronegócio paulista apresentaram aumento de 11,6%, alcançando US$ 5,66 bilhões.

Os principais grupos nas exportações do agronegócio paulista foram: Complexo Sucroalcooleiro (US$ 1,78 bilhão, sendo que, desse total, o açúcar representou 86,4%, e o álcool, 13,6%), Complexo Soja (US$ 907,13 milhões), Carnes (US$ 719,27 milhões, com a carne bovina respondendo por 87,3%) e Sucos (US$ 515,39 milhões, dos quais 97% referentes a sucos de laranja).

PREÇO DO LEITE

Os preços do leite no campo registraram alta pelo segundo mês consecutivo. De acordo com pesquisa do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, a “Média Brasil” líquida do leite captado em abril e pago em maio subiu 2,7% em relação ao mês anterior, indo para R$ 2,0364/litro. Esse valor é recorde para um mês de maio e supera em 37,9% o registrado no mesmo período de 2020.

As exportações do Complexo Sucroalcooleiro crescem 37,4% entre janeiro e abril de 2021 e aumentam superávit da balança comercial paulista
Foto: CanaSol

SAFRA LARANJA 2021/2022

A estimativa da safra de laranja do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro divulgada na semana passada pelo Fundecitrus é de 294,17 milhões de caixas (40,8 kg). A produção total de laranjas inclui:

  • 51,37 milhões de caixas das variedades Hamlin, Westin e Rubi;
  • 16,87 milhões de caixas das variedades Valência Americana, Seleta e Pineapple;
  • 84,66 milhões de caixas da variedade Pera Rio;
  • 107,07 milhões de caixas das variedades Valência e Valência Folha Murcha;
  • 34,20 milhões de caixas da variedade Natal.

Cerca de 26,09 milhões de caixas deverão ser produzidas no Triângulo Mineiro.

Em comparação à safra anterior, que foi finalizada em 268,63 milhões de caixas, a projeção atual representa um crescimento de 9,51%, mas ainda fica abaixo da média das últimas dez safras em, aproximadamente, 35 milhões de caixas, o que equivale a uma queda de 10,53%.

As laranjeiras tiveram condições fisiológicas para gerar uma carga de frutos maior do que a do ciclo anterior, em virtude das reservas que foram poupadas com a baixa produção.

Pelos problemas climáticos em muitos pomares houve a emissão da terceira florada, em dezembro de 2020 e janeiro de 2021, e da quarta florada a partir de fevereiro de 2021.

A falta de chuva fez o tamanho dos frutos terem em média, 81 gramas cada, quando, nesta época em anos normais, pesavam cerca de 100 gramas.

A produtividade média nesta temporada é estimada em 850 caixas por hectare e 1,77 caixas por árvore, ante às 737 caixas por hectare e 1,55 caixas por árvore colhidas na safra 2020/21.

O índice de queda dos frutos projetado é de 20,50%. O parque citrícola tem 166,56 milhões de árvores produtivas que ocupam uma área de 346.123 hectares nesta safra.

A estimativa da safra de laranja do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro é de 294,17 milhões de caixas
Foto: BrasilAgro

SAFRA CAFÉ

Em razão das condições climáticas adversas, estima-se redução de 35% na produção de café arábica em comparação à safra 2020, resultando em 4 milhões de sacas de café arábica beneficiado neste ciclo. Os dados são da Conab.

As chuvas do início do ciclo ficaram abaixo do normal e, associadas às elevadas temperaturas médias, geraram condições de estresse vegetativo reduzindo ainda mais os resultados característicos da bienalidade negativa. A diminuição na área em produção de 1,7% (198,2 mil hectares destinado para tal fim nessa safra 2021) ajuda também para a previsão de decréscimo no volume total a ser colhido.

SAFRA CANA

A moagem de cana na primeira quinzena de maio atingiu 41,07 milhões de toneladas no Centro-Sul. O índice é uma retração de 3,01% em relação ao mesmo período do ano passado.

No acumulado do ciclo a moagem totalizou 86,31 milhões de toneladas, ante 103,04 milhões de toneladas registradas no mesmo mês de 2020 – queda de 16,24%.

A produtividade média é de 73,22 toneladas por hectare, antes 83,96 toneladas observadas no mesmo período na safra 2020/2021 – retração de 12,3%.

Na primeira quinzena de maio, 234 unidades estavam em operação, sendo 229 processadoras de cana-de-açúcar, 4 exclusivas de etanol de milho e 1 usina flex. Na mesma data da safra 2020/2021, 240 unidades já haviam iniciado o processamento.

Em razão das condições climáticas adversas, estima-se redução de 35% na produção de café arábica
Foto: SafraES

VACINAÇÃO AFTOSA

O Brasil tem mais seis estados reconhecidos como áreas livres de febre aftosa sem vacinação, O que faz com que mais de 40 milhões de cabeças deixarão de ser vacinadas e 60 milhões de doses anuais da vacina não serão mais utilizadas, gerando uma economia de aproximadamente R$ 90 milhões ao produtor rural. Foram reconhecidos como área livre de febre aftosa sem vacinação: Paraná, Rio Grande do Sul, Acre, Rondônia e partes do Amazonas e do Mato Grosso.

O Paraná também recebeu o reconhecimento como zona livre de peste suína clássica independente.

MERCADO SUÍNO

Os elevados preços do milho têm resultado em um cenário bastante desafiador ao pecuarista nacional. Dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada mostram que a relação de troca de suíno vivo por milho observada nesta semana é a mais desfavorável ao pecuarista desde 2004.

Para se ter uma ideia, o suinocultor paulista conseguia comprar 3,28 quilos do cereal com a venda de um quilo de suíno.

A dificuldade de escoar a produção de carne no mercado interno e a retração pontual das vendas externas, por sua vez, fizeram com que agentes do setor reajustassem negativamente os preços dos cortes e das carcaças, no intuito de elevar a liquidez.

Os elevados preços do milho têm resultado em um cenário bastante desafiador ao pecuarista nacional
Foto: Divulgação

Gustavo Batista

Gustavo Batista é jornalista há 20 anos com pós-graduação em gestão de comunicação. Tem experiência em rádio, tv, assessoria de imprensa e meios digitais. Já atuou em canais de tv como TV Clube, TV Record e TV Thathi. Atua há 10 anos no setor de Agronegócio.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: