Confira o que acontece no agronegócio

O que acontece durante a semana no agronegócio você acompanha aqui na Intertv Web.

O colunista Gustavo Batista traz toda semana na coluna “Agro Minuto”, o que no mundo do agronegócio. Acompanhem!

CONSUMO CARNE SUÍNA

O consumo de carne suína per capita aumenta no Brasil pelo segundo trimestre consecutivo, chegando a 17,65 kg nas projeções no trimestre e 17,58 kg na média semestral, lembrando que o consumo recorde foi atingido em 2020, com 16,9 kg. Entre as carnes, a suína teve o maior crescimento desde 2015 (+21,48%), bem superior ao frango (+6,62%).

 

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

Apenas 1,6% da perda de Florestas e Vegetação Nativa no Brasil entre 1985 e 2020 ocorreu em terras indígenas. O dado provém da análise de imagens de satélite desse período desenvolvida pela equipe de pesquisadores do MapBiomas utilizando recursos de inteligência artificial. Nesses 36 anos, os territórios indígenas já demarcados ou aguardando demarcação foram os que mais preservaram suas características originais, comprovando o valioso serviço que essas comunidades prestam ao Brasil.

Apenas 1,6% da perda de Florestas e Vegetação Nativa no Brasil entre 1985 e 2020 ocorreu em terras indígenas
Foto: Governo Federal

TEMPO NA AGRICULTURA

Em agosto as áreas de produção agrícola que tiveram os maiores acumulados de chuva no país foram a região Norte e o litoral do Nordeste. Já na região Sul, as chuvas ficaram mal distribuídas e no Centro-Oeste e Sudeste prevaleceu o tempo seco. A análise é da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Segundo a publicação, as irregularidades das chuvas na região Sul e a redução do armazenamento hídrico têm dificultado os tratos culturais e o desenvolvimento dos cultivos de inverno.

 

PREÇO LIMÃO

Já a lima ácida tahiti, mesmo com a baixa oferta paulista, as cotações voltaram a recuar no mercado de mesa, devido à demanda nacional restrita. Assim, a média parcial de comercialização da tahiti nesta semana é de R$ 35,50/cx de 27 kg, colhida, 11,2% inferior à do período anterior.

A lima ácida tahiti, mesmo com a baixa oferta paulista, as cotações voltaram a recuar no mercado de mesa, devido à demanda nacional restrita
Foto: Circuito Mato Grosso

PLANTAÇÃO LARANJA

O Fundecitrus iniciou a coleta de dados do novo mapeamento do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste de Minas Gerais. ELR será feito pela equipe de Pesquisa de Estimativa de Safra (PES) a partir da visita a todas as propriedades de citros durante os próximos meses. O mapeamento, realizado pelo Fundecitrus a cada três anos é uma varredura completa da área do cinturão citrícola e trazados detalhados do parque, com alta precisão, e permitindo comparação e acompanhamento da evolução do setor, como área plantada, variedades, número e idade das árvores, uso da irrigação, número de propriedades, dentre outras informações.

 

PREÇO LARANJA

A demanda por laranja esteve desaquecida nesta semana. Além do período de fim de mês, os altos preços da fruta e a menor qualidade (predominância de laranjas miúdas e murchas) também limitam a procura. Na parcial da semana passada a média do tipo pera é de R$ 41,00/cx de 40,8 kg, na árvore, leve avanço de 0,6% frente à semana anterior.

O Fundecitrus iniciou a coleta de dados do novo mapeamento do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste de Minas Gerais
Foto: BrasilAgro

BOVINOS PARA ABATE

O baixo volume de animais prontos para abate no mercado brasileiro segue sendo confirmado por dados oficiais. Segundo o IBGE, de janeiro a junho deste ano, foram abatidos no Brasil 13,61 milhões de animais, 7,28% a menos que no mesmo período de 2020 e expressivos 14,21% abaixo do de 2019.

É o menor volume desde o primeiro semestre de 2009, quando o total abatido foi de 13,38 milhões de animais. Pesquisadores do Cepea ressaltam que o menor volume de gado ao longo do primeiro semestre manteve em alta os preços da arroba em praticamente todas as regiões produtoras do País.

 

QUEBRA SAFRA CAFÉ

A moagem da cana-de-açúcar na safra em curso deverá ser de 576,4 mil toneladas e o rendimento industrial previsto é menor que o da temporada passada, porém ainda acima da média dos últimos anos. Em termos de produtos finais (ATR) a quebra de safra será de 8%.

O baixo volume de animais prontos para abate no mercado brasileiro segue sendo confirmado por dados oficiais
Foto: Acrimat

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: