Confira o que acontece no agronegócio

O que acontece durante a semana no agronegócio você acompanha aqui na Intertv Web.

O colunista Gustavo Batista traz toda semana na coluna “Agro Minuto”, o que ocorre no mundo do agronegócio. Acompanhem!

EXPORTAÇÃO CAFÉ

As exportações brasileiras de café totalizaram 3.111.905 sacas de 60 kg e renderam US$ 518,2 milhões em setembro deste ano, desempenho que implica queda de 26,5% em volume, mas leve avanço de 0,5% em receita cambial na comparação com o mesmo mês de 2020. A evolução no ingresso de divisas reflete as altas cotações da commodity no mercado internacional, tanto que o preço médio das remessas foi de US$ 166,52 por saca, 36,7% acima dos US$ 121,79 aferidos em setembro do ano passado. Os dados fazem parte do relatório estatístico mensal do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

 Com o resultado, as exportações de café do país, nos três primeiros meses do ano safra 2021/22, chegaram a 8,817 milhões de sacas, ficando 20,2% aquém do apurado entre julho e o final de setembro de 2020, quando o Brasil remeteu 11,048 milhões de sacas ao exterior. Em receita, contudo, houve crescimento de 3,3% no intervalo, com os embarques rendendo US$ 1,367 bilhão até o momento, o melhor desempenho das últimas cinco temporadas.

No acumulado dos nove primeiros meses de 2021, o desempenho é similar. As exportações brasileiras totais de café somaram 29,759 milhões de sacas e renderam US$ 4,172 bilhões, apresentando queda de 4,1% em volume, mas incremento de 6% em receita cambial.

Os Estados Unidos permaneceram como os principais importadores do café brasileiro de janeiro a setembro deste ano, com a aquisição de 5,674 milhões de sacas, volume praticamente estável em relação às 5,682 milhões adquiridas no mesmo intervalo em 2020. Esse volume representou 19,1% das exportações totais do Brasil até o momento.

O café arábica foi o mais exportado entre janeiro e setembro de 2021, com o envio de 23,831 milhões de sacas ao exterior, o que correspondeu a 80,1% do total. Já a variedade canéfora (robusta + conilon) registrou o envio de 2,995 milhões de sacas ao exterior, respondendo por 10,1% do total. Na sequência, vieram os segmentos do produto solúvel, que embarcou 2,900 milhões de sacas (9,7%), e do café torrado e torrado e moído, com 32.684 sacas (0,1%).

As exportações brasileiras de café totalizaram 3.111.905 sacas de 60 kg e renderam US$ 518,2 milhões

SAFRA CANA

A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas unidades produtoras do Centro-Sul alcançou 35,79 milhões de toneladas na 2ª metade de setembro, o que representa uma queda de 11,38% sobre o valor apurado na mesma quinzena da safra 2020/2021 – 40,38 milhões de toneladas. O estado de São Paulo registrou moagem de 20,62 milhões de toneladas (-12,95%) e nos demais estados da região Centro-Sul a quantidade processada na quinzena alcançou 15,17 milhões de toneladas (-9,15%).

 Desde o início do ciclo 2021/2022 até 01 de outubro, a moagem acumula queda de 6,86%. Nesse período, a quantidade de cana-de-açúcar processada pelas usinas atingiu 467,44 milhões de toneladas, ante 501,88 milhões de toneladas na mesma data do último ciclo agrícola.

O número de unidades operando até 1º de outubro foi de 225 empresas. Até o momento, 36 empresas já terminaram a produção no ciclo 2021/2022. Está previsto o encerramento de mais 52 unidades produtores para a 1ª quinzena de outubro. As unidades que encerraram a safra até o final de setembro tiveram uma redução de moagem em relação à safra passada de 24,2%.

 Dados preliminares apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) para a primeira quinzena do mês de setembro, considerando uma amostra comum de 104 unidades, registraram produtividade de 58,2 toneladas por hectare colhido no mês ante 74,0 toneladas observadas no mesmo período na safra 2020/2021 – queda de 21,3%.

 Apesar da retração na moagem quinzenal, a produção de etanol anidro mantém a trajetória ascendente, com aumento de 8,24% na produção quinzenal. A fabricação do biocombustível atingiu 847,02 milhões de litros na segunda metade de setembro, frente a 782,6 milhões de litros em igual período de 2020.

 

Produção açúcar e etanol

A produção de açúcar retraiu 19,09% nos últimos quinze dias do mês e atingiu 2,32 milhões de toneladas, ante 2,87 milhões de toneladas verificadas em igual período do ano anterior.  A produção quinzenal de hidratado, por sua vez, alcançou 1,14 bilhão de litros, registrando queda de 18,29%

No acumulado desde o início da safra 2021/2022 até 1º de outubro, a produção de açúcar alcançou 29,19 milhões de toneladas, contra 32,06 milhões de toneladas verificadas em igual período do ciclo 2020/2021. A fabricação acumulada de etanol totalizou 22,79 bilhões de litros, sendo 8,9 bilhões de litros de etanol anidro (+24,43%) e 13,89 bilhões de litros de etanol hidratado (-15,37%). Do total fabricado, 1,63 bilhão de litros do biocombustível foram produzidos a partir do milho.

A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas unidades produtoras do Centro-Sul alcançou 35,79 milhões de toneladas

CRÍTICA CARNE VAREJO

Houve quedas de 15% a 20% na arroba do boi e na carne da indústria para o atacado, mas no balcão não teve nenhuma queda, ou seja, foi 0%, o que o varejo baixou em seus produtos.

Por isso, o sindicato dos frigoríficos criticam o setor. Alegam ganância e pedem engajamento dos açougues e supermercados na cadeia e não se apresentarem como inimigos.

Houve quedas de 15% a 20% na arroba do boi e na carne da indústria para o atacado, mas no balcão não teve nenhuma queda

Gustavo Batista

Gustavo Batista é jornalista há 20 anos com pós-graduação em gestão de comunicação. Tem experiência em rádio, tv, assessoria de imprensa e meios digitais. Já atuou em canais de tv como TV Clube, TV Record e TV Thathi. Atua há 10 anos no setor de Agronegócio.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: