‘Nada substitui a emoção de um show ao vivo’

A cantora Juliana Zitti é a entrevistada da nossa coluna “Bate-Papo” dessa semana. Sempre sorridente e extrovertida tem se reinventado no meio musical durante a Pandemia de Coronavírus.

Olá, seguidores da nossa Intertv Web! Nessa semana quem entrevisto na “Coluna Bate-Papo” é uma pessoa simpática, extrovertida e de um sorriso cativante, trata-se da cantora Juliana de Almeida Zitti, 43 anos, e que desde criança tem a música em suas veias, seja para cantar ou dançar.

“Sempre gostei muito de música e desde pequena fiz ballet, jazz, sapateado… coisas que nossa mãe nos colocava antigamente [risos]. Quando já era mais velha recebi convite para dançar em bandas na época de Réveillon e Carnaval. Numa certa vez uma cantora deixou a ‘banda na mão’ e um grande amigo guitarrista que havia montado a banda para o evento pediu pra que eu fizesse um teste cantando. Nunca tive a intenção de virar cantora, mas digamos que foi um acidente que deu certo”, conta Juliana Zitti.

Foto: Arquivo Pessoal

O primeiro evento ela fez com aquele frio na barriga, porque era totalmente inexperiente, entretanto conseguiu se virar porque sempre esteve nos palcos dançando, mesmo que fosse em festivais de dança. Desde aquele momento decidiu que seria nesse segmento que iria seguir. Então fez partes de bandas de baile e alguns freelancers que apareciam.

Em 2000 entrou na Banda Gênese, de Franca, onde foi a sua melhor escola e atuou como vocalista durante 16 anos. Em 2016 saiu da banda cansada da rotina da estrada e de tudo que estava vivendo no momento, incluindo assuntos pessoais.

“Fiquei alguns meses parada pra descansar um pouco a cabeça e viver um pouco a vida ‘normal’, já que há anos não tinha folga de final de semana, pois, os tempos eram outros e nossa agenda era bem cheia. Mas logo apareceram pessoas, amigos e convites para que eu participasse de festas cantando, então retomei tudo com uma nova roupagem trabalhando assim com minha banda e meu nome”, revela Juliana.

Vamos tomar um drink preparado pela Juliana Zitti, e saber um pouco mais sobre sua vida, carreira profissional, histórias, o atual momento de Pandemia e como ela tem se reinventado.

Foto: Arquivo Pessoal

Intertv Web – Como você tem lidado com esse momento de Pandemia e a falta dos shows?

Juliana de Almeida Zitti – Esse assunto é um caso sério. No começo achei que esse vírus não fosse tomar a proporção que tomou. Fomos pegos de tal forma que quando chegou achei que fosse passar rápido coisa de dois meses. E hoje vendo que não temos previsão de volta é muito triste. Muitas famílias estão sofrendo com essa falta de trabalho. Eu particularmente sofro os meus picos de calma, stress, medo, angústia, tristeza… e a esperança de que vai passar.

Intertv Web – Nesse ano de 2020 tínhamos muitos shows e espetáculos agendados. Como foi a sua reação ao saber que tudo teria que ser cancelado ou adiado?

Juliana Zitti – Fiquei chocada [risos]. Desesperada em ver que tudo que havíamos planejado iria ser pausado. Tanto trabalho e de uma hora pra outra nessa situação de incerteza.

Intertv Web – Você tem participado de Lives? Qual a sua opinião sobre esse novo modelo de shows?

Juliana Zitti – Tenho sim. No começo fazíamos bem amador, mas atualmente tomou uma grande proporção técnica, que ao mesmo tempo que foi bem legal, há um obstáculo que sem patrocínios com os shows parados não conseguimos realizar mais um trabalho “menos profissional” do que se tem mostrado os artistas. Mas acho um entretenimento interessante sim. Os jornais estão muito tóxicos precisamos de momentos mais leves pra aliviar nossa quarentena.

Foto: Arquivo Pessoal

Intertv Web – Artistas e produtores terão que se reinventar se quiserem ter um ano de 2020 melhor?

Juliana Zitti – Com certeza. Não temos previsão nenhuma de volta e não podemos cair no esquecimento. Infelizmente o brasileiro é um povo sem memória temos que estar a todo momento mostrando nossa marca, nosso trabalho ainda mais nas redes sociais aonde virou o grande centro de tudo. Já que não podemos estar presentes junto ao público temos que procurar formas de como fazer isso.

Intertv Web – O mundo das Lives realmente se tornou o melhor meio para o meio artístico?

Juliana Zitti – Nada substitui a emoção de um show ao vivo.  Tudo fica muito frio, mas acredito que no momento sim, até aparecer outras opções como já vi que estão trazendo os drive-ins de volta com show ao vivo aonde o público fica presente, porém dentro dos seus carros. É uma opção mais humana do que uma Live, mas nunca será igual a uma aglomeração [risos].

E como artista digo, vocês não imaginam como é bom fazer um show mesmo que em uma Live pra quem está há tanto tempo sem tocar, sem cantar, nos sentimos renovados por fazer aquilo que nos dá tanto prazer, mesmo que de uma forma mais distante.

Intertv Web – Quais são seus artistas de referência na música?

Juliana Zitti – Como vocalista de banda de baile eu aprendi a ouvir muita coisa, muitos estilos e a gostar de gêneros variados de música e artistas. Mas uma que não posso deixar de mencionar é Ivete Sangalo. Entretanto gosto muito de Marisa Monte, Beyoncé, Bruno Mars, Iza, cada um com sua particularidade e estilo.

Foto: Arquivo Pessoal

Intertv Web – Existem algumas pesquisas indicando que devem voltar shows e outros eventos somente no ano de 2021. Acredita que isso possa se concretizar?

Juliana Zitti – Acredito. Tento ser otimista quando vejo alguma notícia sobre a volta ainda este ano mesmo que seja no final, mas sinceramente se não houver uma vacina, um tratamento só mesmo em 2021 e me dá um certo receio que possamos ficar sem o Carnaval. Não estamos vendo melhora na situação. Acho que nunca saberemos de verdade os números, mas é assustador. O vírus existe e está se disseminando na população.

Intertv Web – O que fazer para se tornar uma cantora profissional e somente viver da música?

Juliana Zitti – É possível, porém requer dedicação, propósito, venda, estudo, além de entender realmente o que seu público espera e se reinventar a cada dia. Temos um país com muitos talentos. Se não corrermos ficamos para trás. E é indispensável uma equipe com a mesma garra que a sua!

Intertv Web – Suas considerações finais.

Juliana Zitti – Fiquei feliz por estar aqui participando deste bate-papo com os seguidores da Intertv Web, e espero que possamos ter muitas oportunidades de estarmos juntos trabalhando e retomando nossa jornada o mais breve possível. Enquanto isso fiquem em casa, se possível, e se cuidem. Cuidem dos seus. E que nossa fé seja maior que o medo desse vírus!

Foto: Arquivo Pessoal

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: