Pescaria altera a rotina da cidade de Cravinhos e região

Evento se tornou tradição na cidade de Cravinhos e movimenta o mercado de pesca durante os meses de Abril e Maio

Por todo o mundo a Sexta-Feira Santa é celebrada com procissões, celebrações e diversos eventos, mas o tradicional ritual também consiste em comer peixes, uma vez que na religião católica, o fato de não comer carne, neste período, está relacionado com “fazer um sacrifício”, por Deus, que sacrificou a vida por toda a humanidade.

Foi pensando em proporcionar um dia diferente que a administração municipal de Cravinhos promoveu uma grande pescaria no Parque Ecológico “Dr. Renato e Armando Pagano”. Foram colocados três toneladas de peixe que puderam ser pescados e promover a confraternização entre crianças e adultos durante todo o dia, uma vez que muitas famílias se fizeram presentes no local.

“Em torno de 90% das pessoas comem somente peixe na Sexta-Feira Santa e por isso proporcionamos essa pescaria, que já se transformou em tradição em nossa cidade, além de divertir a todos durante todo o ano, já que o pessoal não consegue pescar tudo em apenas alguns dias. Só temos que agradecer a presença de todos e dizer que continuem aproveitando o nosso parque ecológico”, comenta o prefeito de Cravinhos, José Carlos Carrascosa dos Santos.

O evento proporcionou um dia diferente para a população de Cravinhos e mudou a rotina, porque durante todos os dias subsequentes logo pela manhã já se vê pessoas com varas de pescar se dirigindo ao parque ecológico. Sorridentes, criativos e conversadores, os pescadores têm muito o que contar. Profissão antiga, que aos poucos tem se modernizado com varas de pescar de alta tecnologia e a isca artificial, que imita em muito a natural e que tem dado resultado durante a pescaria.

“Foi uma ideia muito boa essa de colocar os peixes na lagoa, os pescadores profissionais bem como os amadores esperam essa data para poderem fisgar algum peixe”, relata o técnico em informática, Lucas Ambrósio.

Quem também mudou a rotina para pegar alguns peixes foi o aposentado Carlos César Ramos, que foi na sexta-feira e também nos dias subsequentes.

“Fui na Sexta-Feira Santa com meu filho e gostei muito da pescaria. Ai não teve jeito mudei a minha rotina e voltei no domingo e durante a outra semana. Deu pra pegar uns seis peixes, mas o importante é que se tornou um evento diferente e muito agradável”, relata o aposentado.

Além da pescaria quem vai ao Parque Ecológico pode apreciar uma linda cascata, fazer caminhada em volta das lagoas e estar em contato direto com a natureza.

Autor

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: