Compostos Bioativos no tratamento e prevenção do diabetes

Estudos apontam que compostos biotivos como os polifenóis, podem auxiliar no tratamento e prevenção do diabetes.

Atualmente a busca por uma alimentação mais saudável e equilibrada para controle de doenças crônicas como diabetes, tem aumentado. Estudos apontam que compostos biativos como os polifenóis, podem auxiliar no tratamento e prevenção do diabetes. O diabetes trata-se de uma doença crônica de etiologia múltipla que afeta milhares de pessoas em todo o mundo.

Estudos de intervenção que a analisaram os efeitos dos compostos bioativos como o resveratrol, galato de epigalocatequina, genisteína, curcumina e extrato de ginkgo biloba, concluíram que eles possuem efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes, além de ações benéficas ao perfil lipídico e homeostase da glicose. Essas propriedades apontam para um potencial uso destes polifenóis como compostos antidiabéticos, que devem ser associados ao estilo de vida saudável, dieta adequada e possíveis medidas farmacológicas.

Foto: Divulgação

Propriedades de alguns compostos bioativos:

Resveratrol: encontrado em grande número de plantas, como uva (especialmente na casca e sementes), vinho tinto, cacau e amendoim. Por apresentar propriedades anti-inflamatórias, antiproliferativas, antiplaquetárias e antioxidantes, se mostrou eficaz na prevenção e tratamento de uma variedade de condições, incluindo diabetes, envelhecimento, obesidade, doenças cardiovasculares, neurológicas, entre outros.

Galato de epigalocatequina (EGCG): principal composto bioativo presente no chá verde. Consumido principalmente na forma de chás e de suplementos alimentares disponíveis no mercado. Embora ainda não estabelecida a dosagem ideal, o consumo diário de EGCG não deve exceder 300mg/dia. O chá verde apresenta muitos efeitos benéficos à saúde, incluindo redução da gordura corporal e do colesterol, ações anti-inflamatórias, mudança na composição da microbiota intestinal e melhora da sensibilidade à insulina.

Curcumina: cúrcuma (açafrão-da-terra) é membro da família do gengibre, apresenta efeito antioxidante, anti-inflamatório, antiproliferativo, antibacteriano, antineoplásico e antienvelhecimento. Consequentemente, tem potencial terapêutico em doenças como as cardiovasculares, renais e diabetes.

Extrato de Ginkgo Biloba (EGb): obtido das folhas secas da árvore Ginkgo Biloba, é uma das plantas medicinais mais vendidas no mundo. Os principais efeitos terapêuticos dependem de suas características antioxidantes, anti-inflamatórias, vasodilatadoras e antiedematogênicas, que auxiliam na melhora do DM devido a redução da glicemia e da hemoglobina glicada.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: