Exposição terá como tema “A mão que alimenta” e promete grandes trabalhos

O trabalhador rural é visto nas diversas formas de produção, no seu trabalho de sol a sol que leva o alimento para a mesa de cada brasileiro.

O Memorial Casa Libaneza – Espaço Cultural de Cravinhos recebe a partir de quarta-feira (05/05), a exposição “A mão que alimenta”, que reúne 12 artistas com trabalhos propagados nacionalmente e internacionalmente. Os trabalhos são de pinturas em técnicas diversas e esculturas, cada um fazendo sua interpretação sobre o tema da agricultura e pecuária da região, a produção de alimentos, em suas muitas variedades, com especial ênfase nas pessoas; as “mãos” que plantam, cultivam, colhem e que são os principais personagens dessa cadeia.

“Quero convidar todos a prestigiarem essa grande exposição que reunirá artistas de Cravinhos e região. Todos retratando um tema que está presente em nosso cotidiano”, diz a secretária de Cultura e Turismo de Cravinhos, Andréa Gaspar.

O trabalhador rural é visto nas diversas formas de produção, no seu trabalho de sol a sol que leva o alimento para a mesa de cada brasileiro. Uma viagem ao campo.

“Estamos abrindo esse espaço para a exposição, mas claro com todos os cuidados necessários preconizados pela Organização Mundial de Saúde, e nossa Secretaria de Saúde. E tenham certeza que são trabalhos incríveis que merecem ser visitados e apreciados”, comenta a diretora de Cultura de Cravinhos, Fernanda Molezini.

“A mão que alimenta” também marca o nascimento da ADDA (Associação de Desenvolvimento e Divulgação das Artes), criada em Cravinhos, formada por artistas plásticos e outros profissionais, com o objetivo de disseminar cultura, promover as diversas vertentes artísticas e o conhecimento.

Nessa exposição haverá peças dos artistas: Cristina Ravagnani, Edna Stradioto, Fábio Hoga, Isisson de Oliveira, Júlio Túnis, Leila Costa Quaglio, Lícia Vallim, Maria de Lourdes Bombonatti, Suzana Duqini, Tony Hajime Watanabe, Tony Soares e Ubirajara Júnior.

A exposição fica na Casa Libaneza (Rua XV de Novembro, 259 – Centro) até o dia 28 de maio e poderá ser visitada de 2ª a 6ª feira, das 8h às 11h e das 13h às 17h. A entrada é gratuita e é obrigatório o uso de máscara.

Vale ressaltar que em seguida a exposição irá para o Museu da Cana, em Pontal (SP). Na sequência para São José do Rio Pardo (SP) e Campinas (SP).

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: