Secretário de Educação do Estado de São Paulo considera retomada das aulas presenciais essencial

A retomada das aulas presenciais nas redes pública e particular será gradual e deve seguir os protocolos de prevenção considerando a situação de cada região; Estado também estuda a possibilidade de firmar parcerias com a iniciativa privada.

O secretário de Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares, considera que a estrutura de educação híbrida, com aulas presenciais e online, em todos os níveis de ensino é irreversível e eficiente. A avaliação foi apresentada durante o debate da LIVE LIDE Ribeirão Preto, que teve o tema “Plano São Paulo para retomada das aulas presenciais e impacto na cadeia produtiva”, transmitido pela plataforma da instituição.

“As crises trazem uma aceleração para as transformações e a educação terá uma nova estrutura. O ensino híbrido é um caminho sem volta e não podemos abrir mão da tecnologia, teremos uma nova rotina de educação dividida entre presencial e digital. Os jovens precisam ter contato com as novas tecnologias e conhecer pelo menos os conceitos básicos desse novo universo”, afirma Rossieli Soares. O secretário reforçou ainda que a retomada presencial é essencial e não deve ser substituída.

O secretário de Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares, considera que a estrutura de educação híbrida, com aulas presenciais e online, em todos os níveis de ensino é irreversível e eficiente
Foto: Divulgação

De acordo com o secretário, a proposta é promover uma atualização na estrutura de ensino por meio da nova realidade visando complementar as grades da educação.

“Não vamos substituir os professores, mas precisamos utilizar as ferramentas tecnológicas para complementar. Será necessário ver o que é essencial nas escolas e unidades de ensino. O governo está estudando a possibilidade de firmar parcerias com a iniciativa privada, mas ainda não temos nada de concreto”, diz Soares.

De acordo com a primeira etapa do Plano São Paulo, o retorno inicial ocorrerá com até 35% da capacidade da unidade escolar, quando 80% da população da região estiver na fase amarela por 28 dias consecutivos. Para alcançar até 70% da presença dos estudantes, 60% da população da região precisará se enquadrar na fase verde por pelo menos 14 dias consecutivos. A retomada total só será possível quando pelo menos 80% da população estiver na fase verde por pelo menos 14 dias consecutivos. As escolas e universidades terão autonomia para decidir sobre a implantação da porcentagem de presença de estudantes.

Foto: Divulgação/Governo de São Paulo

“Cada fase também deve considerar a realidade da região e da escola. A educação com as crianças menores necessita de um atendimento presencial de forma mais intensa, o que exige uma nova realidade. Dentro dos 35% da capacidade, cada escola vai definir a sua estratégia considerando a sua necessidade, que pode, por exemplo, priorizar as crianças nessa faixa etária. Já os professores terão parte das atividades presencias e parte remota”, orienta o secretário de Educação.

O plano prevê ainda que atividades práticas e laboratoriais do ensino superior e profissional poderão ser realizadas na fase 3 (amarela), desde que a região se mantenha nesta classificação por um ciclo completo, ou seja, 14 dias.

Arte: Divulgação

Protocolos

O distanciamento social é um dos pilares do protocolo de retorno às aulas presenciais: deve ser mantido 1,5 metro de distância, menos na educação infantil. Intervalos, recreios e horários de entrada e saída serão planejados levando em conta a necessidade de evitar aglomerações. Feiras, atividades em auditórios, palestras, campeonatos esportivos e assembleias serão proibidos.

Em relação à higiene, toda instituição deverá disponibilizar EPIs para os funcionários e álcool em gel para uso comum. A utilização de máscara será obrigatória tanto dentro da escola quanto no transporte escolar. Os ambientes deverão passar por sanitização completa e banheiros e vestiários deverão ser higienizados a cada 3 horas. Profissionais e alunos do grupo de risco deverão permanecer nas atividades remotas. Todos terão a temperatura aferida antes de entrar no estabelecimento. As instituições deverão comunicar as famílias sobre os protocolos pelo menos 7 dias antes do retorno.

Foto: Divulgação

Acolhimento

O secretário de Educação do Estado de São Paulo ressaltou também a importância de ocorrer um processo de acolhimento e apoio psicológico no período de retomada das atividades presenciais.

“A proposta é planejar o retorno para 2021 e 2022 e precisamos entender como será a retomada da educação, já que é um setor essencial para o desenvolvimento da sociedade e para auxiliar os pais em relação aos cuidados dos filhos. É importante saber acolher as pessoas. É preciso ter um acompanhamento psicológico, já que cada aluno está passando por uma situação diferente, o acolhimento é muito importante para afetar de forma positiva”, diz Rossieli Soares.

Da Redação

A equipe Intertv Web traz para você as informações e notícias precisas que você precisa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: