Abelhas – entenda a sua importância para o meio ambiente

A nível alimentar, aproximadamente dois terços dos alimentos que ingerimos são produzidos com a ajuda da polinização das abelhas.

A vida das abelhas é crucial para o planeta e para o equilíbrio dos ecossistemas, já que, na busca do pólen, elas o transferem entre as flores masculinas e femininas. Assim as plantas se reproduzem, criando o processo indispensável de polinização. Esses insetos polinizam plantações de frutas, legumes e grãos.

Como alertava o físico Albert Einstein “se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana.” Portanto, as abelhas afetam a nossa vida diariamente sem que nós percebamos disso.

Foto: Divulgação

A nível alimentar, aproximadamente dois terços dos alimentos que ingerimos são produzidos com a ajuda da polinização das abelhas. Muitos biólogos sugerem que todos os apicultores devem manter uma colmeia nas suas propriedades para aumentar a produtividade, como de milho e feijão, garantindo assim a produção de alimentos que dependem da polinização das abelhas. Esse é o reconhecimento de que, sem as abelhas, a segurança alimentar da humanidade está sendo ameaçada.

Foto: Epagri

Mudanças climáticas, uso excessivo de pesticidas e ação humana ameaçam a existência das abelhas, animais que desempenham papéis cruciais no equilíbrio do meio ambiente. Por isso é importante eliminar o uso de pesticidas e preferir produtos biológicos, sendo uma boa forma de contribuir para a conservação das abelhas e aumento das suas populações, além dos efeitos benéficos para a saúde, para os ecossistemas e para centenas de outras formas de vida que não as abelhas.

Fonte: MacBoot – adaptado pelo autor

Vanderson Carniel

Biólogo, Pós-graduado em Gestão Ambiental pela UFSCar. Ex-secretário Municipal de Meio Ambiente e Política Agrícola. Atualmente, é vereador na Câmara Municipal de Cravinhos, Legislatura 21/24.

Deixe uma resposta