Gershwin

É interessante como certas coisas entram em nossas vidas. A música clássica, para mim, sempre foi um detalhe dos desenhos animados, principalmente da Disney. Sempre achei interessante como o desenho acompanhava a música e vice-versa.

O filme Fantasia 2000 foi um dos mais marcantes. E é dele que extraio um dos maiores compositores norte americano: George Gershwin, com a música Rhapsody in Blue.

A música para orquestra e piano é de 1924, foi a primeira grande obra de Gershwin. No filme é a terceira história e mostra pessoas correndo atrás de seus sonhos na Nova York da década de 30.

Por que ser um Ravel de segunda classe se você pode ser um Gershwin de primeira?

Gershwin foi para o centro cultural mundial da época, Paris, porém por pouco tempo. Estudou composição com Nadia Boulanger, entre outros professores, como Maurice Ravel, sim, aquele do bolero. Eles ficaram com receio de que os estudos rigorosos pudessem alterar o seu estilo, influenciado pelo jazz.

Noite dada por Éva Gauthier para o aniversário de Maurice Ravel (sentados ao piano). Em pé a extrema direita, George Gershwin.

Foi quando ele escreveu An American in Paris. Em sua primeira performance, no Carnegie Hall em 13 de Dezembro de 1928, recebeu diversas críticas negativas, depois tornou-se parte do repertório de standards na Europa e nos Estados Unidos. Consequentemente ele achou a cena musical em Paris arrogante, e voltou para a América.

Sua mais ambiciosa composição foi Porgy and Bess de 1935. Chamada por Gershwin como uma “ópera folk”, a peça estreada no teatro da Broadway é considerada como a mais importante ópera americana do século XX.

Baseada no romance de Porgy de DuBose Heyward, se passando em um bairro negro em Charleston, Carolina do Sul, e, com exceção de pequenas falas de alguns personagens, todos cantores/atores são negros.

A música combina elementos da música popular, que foi fortemente influenciada pela música negra, técnicas achadas na ópera, assim como recitais e leitmotifs. Incluía também fugas e técnicas “avançadas” como politonalidade e tone row.

Um trecho famoso é a ária Summertime, que já foi interpretada por Billie Holiday, Ella Fritzgerald, Janis Joplin, Willie Nelson, Annie Lennox entre outros.

Veja um trecho, intitulado There’s a boat dat’s leaving soon for New York, dessa grande ópera na voz de Jean William:

Gershwin recebeu somente uma nomeação para um Oscar, por “They Can’t Take That Away From Me” escrita por seu irmão Ira para o filme de 1937 Shall We Dance.

No começo de 1937, Gershwin começa a se queixar de dores de cabeças lancinantes e a recorrente impressão que ele estava cheirando a borracha queimada. Ele tinha desenvolvido um tipo de tumor no cérebro conhecido como glioblastoma multiforme.

O Gershwin Theatre em Manhattan, Nova York.

Foi em Hollywood, enquanto trabalhava na partitura de The Goldwyn Follies, que teve um colapso em 11 de julho de 1937, morrendo aos 38 anos de idade no Cedars of Lebanon Hospital de uma cirurgia para retirada do tumor. Por coincidência, poucos meses depois, em 1937, seu ídolo Ravel também morreria de uma cirurgia no cérebro.

Autor

Emir Freiberger

Formado em comunicação social com habilitação em jornalismo. Pós graduado em artes visuais, trabalha entre o mundo das artes e programação de sites e programas web.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *